Conecte conosco

Eleições

CEZAR DIESEL VOLTA A SE MOVIMENTAR. SEU MAIOR DESAFIO? CONVENCER

Publicado

em

56 anos de emancipação

A desistência do prefeito de Salvador – ACM Neto, de deixar a prefeitura da capital baiana para concorrer ao posto de governador do estado da Bahia nas eleições de 2018, provocou mudanças drásticas nos diversos cenários políticos do Estado, ao mesmo tempo em que, criou oportunidades para que nomes que até então estavam esquecidos voltassem ou tentassem voltar às suas praças para, novamente, buscar colocar seus nomes em evidência, visando as eleições de 2020.

Em Simões Filho, um desses nomes é o empresário e ex-candidato Cezar Diesel, que concorreu pelo PRP, para prefeito de Simões Filho, obtendo pouco mais de cinco mil votos.

AS dificuldades enfrentadas por ex-candidatos, dizem respeito à credibilidade e a confiabilidade adquirida ao longo de campanhas passadas.

Há que se entender que todos que enfrentaram o atual prefeito, Diógenes Tolentino – DINHA, irão tentar impedir que o mesmo se reeleja, e sendo assim, as estratégias adotadas deverão levar em conta vários fatores.

No entanto, a credibilidade na palavra assumida com fornecedores, prestadores de serviços inerentes a pré-campanha e campanha política, e também, com compromissos assumidos como vários apoiadores, devem ser minunciosamente observados para que não se dissemine, via “rádio peão”, histórias de decepções que possam revelar problemas difíceis de serem contornados por aqueles que decidirem, novamente, ou pela primeira vez, apoiá-lo.

Cezar Diesel conquistou um grupo que caminhou com ele, e o mais lógico é que o mesmo, deverá tentar reconquistar os que decidiram se afastar.

Em sua primeira tentativa de se eleger prefeito do município, muitos apoiadores apostaram alto, mas hoje, esses mesmos apoiadores, transmitem, muito discretamente, sentimento de insegurança para assumir, novamente, qualquer compromisso o prefeiturável.

Está ai grande desafio para Cezar: provar que, de fato, tem um projeto para a cidade e em razão deste projeto, conquistar confiança e solidificar um grupo diverso, que consiga elaborar propostas convincentes para os eleitores.
Cezar Diesel precisa reverter, de uma vez por todas, a sensação de muitos, de que não estará buscando reaglutinar pessoas em seu redor apenas para provar para seu principal apoiado e apoiador – deputado federal Luiz Caetano – que tem o controle do grupo que em 2016, obteve mais de dez mil votos em Simões Filho.

Caso não consiga reverter esses sensação, melhor seria que o empresário Cezar Diesel desistisse de mais uma tentativa de se eleger prefeito da cidade, sob pena de sofrer mais uma e definitiva derrota.

Em tempo;

O deputado Luiz Caetano foi autor de emendas que destinaram ao setor de saúde de Simões Filho, quase um milhão de reais no seu primeiro mandato no Congresso Nacional.

Jornalista DRT/MTB nº 4584/BA - Atualmente é editor dos sites Tudo é política e Página Simões Filho. Tem formação em contabilidade e experiência como Instrutor profissional nas áreas de designer gráfico e programação para web.

Continuar Lendo
P U B L I C I D A D E

Eleições

AFINAL, QUEM SÃO OS CANDIDATOS DE SIMÕES FILHO EM 2018

Publicado

em

Qeum são os candidatos de Simões Filho
56 anos de emancipação

Ao contrário do que muitos pensam, a definição dos nomes para candidatos a deputados estaduais representando o município de Simões Filho, ainda é incerta.

Três nomes estão postos, mas nenhum dos três provou, até o momento, que serão de fato e de direito, candidatos.

A vereadora Katia Cerqueira é mais cotada para ser a representante do grupo Dinha, no entanto, a mesma já declarou que não quer entrar na disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa.

A decisão pela vereadora já teria sido feita, mas os acordos políticos que valeram para as eleições municipais de 2016, colocam sérios entraves para o lançamento da candidatura Katia Cerqueira.

O que teria sido “combinado” como o pré-candidato José Tude – ex-prefeito de Camaçari e Paulo Azi – deputado federal – candidato a reeleição, pode ser a razão pela demora na decisão do nome do candidato simõesfilhense, representante do Grupo Dinha.

Pelo lado oposto está o ex-prefeito Eduardo Alencar, o qual tem pendência jurídica que o colocou como inelegível.

A eleição do ex-prefeito, é dada como certa e a previsão é de que o mesmo obtenha algo próximo dos 90 mil votos, isso é claro, se até lá, conseguir se desvencilhar dos problemas jurídicos que fazem o mesmo perder o sono.

Por fim, temos o nome de Denyson Santana – ex-secretário de transportes de Simões Filho.

Denyson pretende sair candidato pelo PODEMOS, mas articulações de bastidores fizeram com que o mesmo ficasse sem seu nome lançado na relação de filiados ao partido.

Há quem diga que tais articulações teriam sido conduzidas pelo ex-prefeito juntamente com o atual presidente do partido, Danilo Gonçalves, para impedir que o mesmo consiga ser candidato. Se isso for verdade, algumas perguntas precisam de respostas:

Por que o ex-prefeito, que sempre foi aliado de Denyson, não iria querer que o mesmo concorrendo nas próximas eleições, em 2018, uma vez que estão em bases partidárias diferentes?

Seria esse, um ardiloso plano para que Danyson se visse, ao final, forçado a apoiar a provável candidatura do ex-prefeito, Eduardo Alencar?

Essas perguntas ainda não foram respondidas por nenhum dos lados e provavelmente não serão.

Das três pré-candidaturas, talvez a mais fácil de se concretizar seja, exatamente, a de Denyson Santana, caso o mesmo consiga resolver sua situação jurídica junto ao partido, o que ainda não está claro.

Em conversa com o mesmo, Denyson demonstrou confiança na decisão da justiça e afirmou que em breve, irá responder aquilo que todos querem saber: Denyson Santana, será candidato a deputado estadual?

Conclusão: Estamos a pouco mais de cinco meses das eleições e nada está definido no que diz respeito aos candidatos que irão concorrer para deputados estaduais, representando Simões Filho.

Nos resta, aguardar…

 

Continuar Lendo

Eleições

Rui em Pernambuco: “nosso povo precisa de emprego e buscaremos isso incansavelmente”

Publicado

em

Rui Costa - Foto: Álvaro Carneiro
56 anos de emancipação

“Nosso povo precisa de emprego e buscaremos isso incansavelmente. O Nordeste está unido e não vai baixar a cabeça. Mais uma vez, estamos apresentando ao governo federal reivindicações que continuam sendo ignoradas pela União”, afirmou o governador Rui Costa, nesta sexta-feira (18), após participar do 9º Encontro dos Governadores dos Estados do Nordeste, em Recife.

Como resultado do encontro, os gestores assinaram a Carta Aberta dos Governadores do Nordeste e de Minas Gerais, que apresenta demandas como a retomada das obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e a liberação de linha de financiamento prometida no último mês de março, em reunião no Palácio do Planalto.

“Queremos o equilíbrio federativo, a retomada das obras da Fiol e a liberação da linha de financiamento da ordem de R$ 42 bilhões para os estados nordestinos. Chega de deturpações que prejudicam quem dá duro todos os dias por uma vida melhor e mora numa região cujo índice de pobreza ultrapassa os 40%. Enquanto não for feita justiça ao Nordeste, seguiremos na luta”, acrescentou Rui.

No total, a carta possui 11 reivindicações. Entre elas, a desvinculação da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) da Eletrobras, transformando-a numa empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional. Também fazem parte das demandas a rediscussão do equilíbrio federativo, a conclusão da transposição do Rio São Francisco e a retomada das obras das ferrovias Transnordestina e Norte-Sul. Leia a íntegra da carta neste link (bit.ly/2Lcne2E).

Continuar Lendo

Eleições

COMEÇA A SEXTA CAMPANHA DE LULA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Publicado

em

COMEÇA A SEXTA CAMPANHA DE LULA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
Lula em caravana pelo nordeste - Foto: Leonardo Stuckert
56 anos de emancipação

247 – O Partido dos Trabalhadores vai lançar uma plataforma online de arrecadação de doações para a campanha de Luiz Inácio Lula da Silva. Apenas o nome de Lula será apresentado num primeiro momento e os outros candidatos terão suas próprias plataformas de arrecadação, informou um integrante da Executiva Nacional do partido. A direção da legenda já aprovou uma resolução destinando a maior parte dos recursos dos fundos eleitoral e partidário para a campanha do ex-presidente. Será a sexta campanha de Lula à presidência da república e a oitava do PT (das quais, venceu quatro).

“Entre o final de maio e início de junho, o partido programa mais um ato de “lançamento” da pré-candidatura do petista. A expectativa, desta vez, é apresentar uma síntese do programa de governo, que está sendo coordenado pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, com auxílio do economista Márcio Pochmann e do ex-deputado Renato Simões. A legenda pretende registrar a candidatura de Lula em agosto e manter o registro até decisão final da Justiça Eleitoral. Em evento nesta segunda-feira, integrantes do partido reforçaram a estratégia.

“Nosso candidato a presidente é o Lula e plano B é luta pra valer, não tem outra coisa”, discursou o coordenador nacional do Movimento Sem Terra (MST), João Paulo Rodrigues. Setores da legenda chegaram a cogitar a ideia de lançar um nome para ser vice de Lula e herdar os votos do ex-presidente após uma impugnação. A cúpula da legenda, no entanto, resiste à proposta entendendo que a estratégia seria admitir uma alternativa a Lula.

Lei mais aqui.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Copyright © 2017 Página Simões Filho