Conecte conosco

CIDADES

OPINIÃO: SAÚDE EM SIMÕES FILHO, A QUEM INTERESSAR POSSA

Publicado

em

Hospital Municipal de Simões Filho
Simões Filho tá Mudando
56 anos de emancipação

Desde que assumiu a administração do Hospital Municipal de Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador – BA, ainda na gestão do ex-prefeito e atual deputado estadual – Eduardo Alencar – a APMI sempre foi alvo de críticas da população.

Várias situações já foram noticiadas pela imprensa simõesfilhense e inúmeras reclamações já foram postadas nas redes sociais.

Na manhã de hoje, 12 de fevereiro de 2019, foi realizada uma “Apresentação de Resultados”, na área de convivência do referido hospital.

Os dados apresentados pelo diretor Maicon Barreto, foram sucintos e sem detalhamentos, mesmo assim, é possível que os mesmos, realmente, traduzam avanços no atendimento à população.

No entanto, a apresentação que deveria servir para mostrar ao povo de Simões Filho, que a gestão, tanto da prefeitura como da própria APMI, estão proporcionando melhorias num dos setores mais criticados da administração municipal – a Saúde Pública, mais confundiu do que esclareceu.

Para começar, as pessoas que assistiram a apresentação, eram, na sua maioria, funcionários da própria APMI, os demais se resumiram na presença do vice-prefeito SID Serra, do secretário de governo, Edson Kipão, de fazenda, Carlos Roberto, o procurador municipal Demilson Lima e a secretária de saúde que por algum motivo, só chegou no final da apresentação dos slides narrados pelo diretor.

Não havia um vereador sequer ou membro da Conselho de Saúde Municipal na pequena plateia.

Ao final da apresentação não houve abertura para perguntas aos representantes da imprensa local e quando questionados sobre a razão de não abrir para perguntas, a assessora de comunicação da APMI – Srª Meire Alves – respondeu que não havia tempo, e que quem quisesse fazer perguntas tentasse o “quebra-queixo”, Ela informou que já trabalha há um ano à frente da assessoria de comunicação, mas ainda não conhece todos os veículos de imprensa da cidade. Vale lembrar que a apresentação começou com 58 minutos de atraso.

O questionamento do Página Simões Filho, foi entendido como uma ação de quem estaria agindo contra a gestão, uma vez que foi perguntado também sobre as citações de supostas notícias falsas veiculadas de “várias formas”.

O diretor Maicon Barreto, respondeu apenas que não queria citar nenhuma “notícia falsa” difundida e como foi veiculada.

Diretor da APMI – Hospital Simões Filho Micon Barreto

Houve uma tensão no ar ao perceberem que o que estava sendo questionado tinha relação com o que foi falado na apresentação, não eram perguntas aleatórias. Nitidamente não se prepararam para perguntas.

É provável que o prefeito Diógenes Tolentino, que está em Brasília, seja informado de que a apresentação foi um sucesso.

E aqui fica a pergunta: sucesso para quem?

É possível que estejam lendo esse texto fazendo caras e bocas avaliando-o como exagerado, mas o fato é que boa parte dos que assistiram a apresentação, sequer moram em Simões Filho.

A sensação era que estávamos numa apresentação de resultados do mês de uma cervejaria e não de um hospital público.

É  preciso entender que o povo é quem faz a melhor avaliação sobre a qualidade da saúde ofertada na cidade.

Leia mais sobre a APMI clicando aqui

É preciso entender, que questionamentos, não podem ser evitados se eles são necessários.

É preciso entender que em gestão pública, bons resultados devem ser difundidos de forma ampla para que o povo tenha condição de avaliar os resultados de forma justa.

É preciso que se entenda que é inaceitável que bons resultados sejam tão mal apresentados.

É preciso que os colaboradores do prefeito compreendam que é preciso levar as boas informações ao povo e não a um grupo de engomadinhos.

É preciso entender que as redes sociais são uma realidade e é preciso saber conviver com as críticas disseminadas através delas.

É preciso que os colaboradores da prefeitura, percebam que uma apresentação nos moldes da que foi realizada, não gera nenhum resultado positivo para a gestão do prefeito Diógenes Tolentino, pois ela foi exclusiva para um pequeno grupo de pessoas, que após a apresentação se fartou com três bandejas de salgados, sem que se ouvisse um comentário sequer sobre um ou outro ponto apresentado pelo Diretor Maicon Barreto.

Se o prefeito, acreditar que um grande trabalho foi feito para divulgar seus esforços em busca de melhorias para o setor da saúde pública, então ele não poderá se surpreender, nem se queixar que não entende por quê a população não comenta sobre os avanços buscados e os resultados alcançados com seus esforços.

Repito: haverá que diga que há aqui, exageros.

Por isso, deixo umas perguntas a quem interessar possa: o que é computado pela APMI como CONSULTAS COM ENFERMEIROS?

Qual a razão de não se fazer uma apresentação aberta à população em um local maior, com momentos de perguntas e respostas a quem queira perguntar?

Bem…

A melhor avaliação sobre os avanços na saúde, quem faz é o povo. A ele se informa e a ele se pergunta.

Em tempos de crise, nenhum funcionário da APMI irá dizer que a empresa está proporcionando retrocessos, caso seja verdade.

Nenhum colaborador da prefeitura irá ter a coragem de dizer que os resultados apresentados no evento jamais chegarão ao povo com a clareza e a simplicidade que o povo entende.

É uma pena!

Trabalhos amadores produzem resultados amadores.

Leia aqui, a matéria produzida pela assessoria de comunicação que resume o que foi apresentado.

Em tempo;

Sempre leio uma frase atribuída ao ex-presidente estadunidense – Barack Obama que diz:  Livre-se dos bajuladores. Mantenha perto de você pessoas que te avisem quando você erra

P U B L I C I D A D E
P U B L I C I D A D E

Copyright © 2017 Página Simões Filho