Conecte conosco

Especiais

Realocação é principal motivo de impasse entre governo e quilombolas

Publicado

em

56 anos de emancipação

Um relatório elaborado pelo Incra reconhece o Quilombo dos macacos como uma área remanescente de escravos

Mesmo com a conclusão do relatório elaborado pelo Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) que reconhece que a área do Quilombo Rio dos Macacos como uma terra remanescente de escravos, a proposta em elaboração pelo governo ainda cogita a realocação das famílias quilombolas para um terreno localizado a 500 metros do local. Esse é o principal ponto de divergência entre os moradores e o governo, e faz com que o impasse continue.
O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, se reuniu nesta quarta-feira (1º) com o ministro da Defesa, Celso Amorim, para tratar do assunto. Ao final do encontro, Carvalho se disse confiante em um acordo. “Nós estamos fazendo uma proposta para a população e esperamos que ela possa ser aceita”, disse, ao comentar a contraproposta da Marinha em ceder parte da área que considera de sua propriedade para que os quilombolas possam ter uma entrada independente à região.

“Eu acho que a Marinha foi flexível, fez uma oferta, uma proposta de realocamento do pessoal de maneira que preserva a dignidade das pessoas e agora nós estamos em uma fase de negociação com a comunidade lá”, destacou o ministro. “Nós vamos ter uma segunda conversa dentro de uns 15 dias e estamos com esperança de que cheguemos a um acordo.”
O quilombo fica a poucos metros da Base Naval de Aratu, no município de Simões Filho, região metropolitana de Salvador. A posse da terra é objeto de uma disputa entre a Marinha do Brasil, que considera a terra de sua propriedade, e os quilombolas. Desde 2010, a Marinha pretende ampliar as instalações da base, onde residem 450 famílias de militares.
Em reunião com os quilombolas, o governo acenou com a possibilidade de construção das casas no terreno a ser oferecido seguindo os moldes escolhidos pela comunidade e disponibilizar também serviços básicos, como fornecimento de energia elétrica, água tratada, coleta de lixo, escola e saneamento básico.
Os quilombolas alegam que o lugar onde moram atualmente é o único com acesso ao rio, após a construção de uma barragem. De acordo com o advogado de defesa dos quilombolas, Maurício Correia, continua firme a posição da comunidade em permanecer no local. Ele informou que a posição é reforçada, principalmente, pelo relatório do Incra.
“A população se mantém firme na posição de não sair da área. Muitos têm umbigo enterrado nas mangueiras e o respeito à relação da comunidade com o local onde mora é previsto na Constituição”, disse o advogado. “Além disso, o local onde atualmente se encontra a população é o único com acesso ao rio, desde que a  barragem foi construída. Sair da terra tradicionalmente sua também cria um precedente perigoso”, argumentou.
Na comunidade, ao lado da base naval que já foi usada como destino de férias dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma Rousseff, não há esses serviços básicos.
“O que tem de energia elétrica lá vem de uma ligação clandestina. Em toda a comunidade, há uma geladeira que é usada de forma coletiva pelos moradores. Não há esgotamento sanitário e fornecimento de água tratada”, disse o advogado.
Segundo os moradores, a Coelba, companhia de eletricidade da Bahia, tentou, sem sucesso, negociar com Marinha uma autorização para instalar linhas elétricas na comunidade. Para se chegar ao local, é necessário passar pelo controle da Marinha, já que não existe acesso independente.
Os moradores reclamam ainda que o esgoto das casas das cerca de 450 famílias residentes na base naval tem sido jogado sem tratamento na barragem.
Hoje (2), os quilombolas tiveram acesso à uma cópia do relatório do Incra, que não foi publicado oficialmente até o momento, medida que daria valor legal ao documento. De acordo com o advogado, na reunião com o governo, os quilombolas concordaram em tratar da publicação e de iniciar as negociações somente após analisarem o documento.
Uma nova reunião ocorrerá dentro de 15 dias. As negociações têm sido conduzidas pela Secretaria-Geral da Presidência da República com o envolvimento de outras áreas do governo, como a Secretaria de Políticas para Promoção da Igualdade Racial (Seppir), a Advocacia-Geral da União (AGU) e o Ministério da Defesa.

 

Fonte: iBahia.com.br

Especiais

Candidata baiana concorre ao título “Rainha Drag Queen” no Milkshake

Publicado

em

56 anos de emancipação

Petra Perón é a candidata representante da Bahia que concorre a uma viagem para Holanda, no concurso promovido pelo Milkshake Festival Brasil 2018, que ocupa a Arena Anhembi, na capital paulista, no dia 02 de junho, com presença confirmada de cantoras como Daniela Mercury, Pabllo Vittar, Gretchen e Preta Gil.

A Miss Brasil Gay Petra Perón é a candidata baiana no “Concurso Cultural Rainha Drag Queen BR“, que acontecerá na segunda edição brasileira do maior festival da diversidade do planeta – o Milkshake, versão nacional do evento holandês, que acontece na Arena Anhembi em São Paulo, no dia 02 de junho, véspera da Parada LGBT. O evento conta na sua line-up com as cantoras consagradas Daniela Mercury, Pabllo Vittar, Gretchen, Preta Gil, Gloria Groove e Wanessa Camargo, entre outros grandes nomes que participam do evento.

Além da oportunidade de Drag Queens brasileiras mostrarem seu talento e divulgar seus trabalhos, a vencedora ganhará como prêmio uma viagem para Holanda, para curtir a edição do Milkshake Festival Amsterdã. O Festival promete mostrar toda a alegria e o espírito open-minded que essas artistas representam, através de um Concurso de beleza, personalidade e performance, atributos que a Rainha deverá apresentar para conquistar o júri.

QUEM É PETRA PERÓN?

MIss Gay PIetra

INSTAGRAM @petraperon CONTATO E-mail: misspetraperon@gmail.com

A Miss Brasil Gay 2018, aclamada como um dos maiores expoentes de beleza da nova geração de Drag Queens da Bahia. Rafael Pedral, artista que deu vida a Petra, conta que ela surgiu no ano de 2015, num momento muito difícil da sua vida, e do país: “um período de avanço do conservadorismo, dias sombrios pós golpe político e recuo de muitos direitos conquistados com duras lutas. Petra veio neste contexto para desopilar e ao mesmo tempo ressignificar a minha luta por um Brasil comprometido com políticas públicas de reparação, e sempre alinhada com a agenda dos direitos humanos.”

Adotada como filha pela Grande Drag Queen baiana Valerie O’rarah, na sua curta jornada de três anos, já conquistou três concursos de Miss, dois locais e um nacional. Ela é a atual Miss Bahia Gay e Miss Brasil Gay Versão Bahia, já foi Miss Salvador Gay, no ano de 2016 e também já faturou as premiações de Microfone de Ouro 2017 (Concurso de Dublagem na Sauna P11, Salvador) e foi indicada ao Prêmio Braskem de Teatro 2017 na categoria Melhor Espetáculo Infantil com “O Cordel de Maria Cindragrela”.

A Drag residente do Bar Âncora do Marujo (Av Carlos Gomes, em Salvador) e da Sauna Club 13 (Bairro de Itapuã, em Salvador), se apresenta nas principais casas da capital baiana (San Sebastian, Amsterdã, Tropical Club, XYZ), faz shows em diversos palcos pelo Brasil, além de  Hostess e animação de festas (aniversários, despedidas de solteiro e chás de bebê). Petra Perón também é integrante do Haus of Gloom: coletivo de jovens Drag queens soteropolitanas, que buscam o desenvolvimento artístico individual de cada integrante, bem como o da cena drag baiana. Atualmente o coletivo é composto por Aimée Lumière, Aleera Cox, Gotham Waldof, Mary Jane Beck, Petra Perón e Spadina Banks.

Maquiador (social e artístico); Aderecista no Ateliê Luiz Fourdon, quando não está representando nos palcos, Rafael é Estagiário do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT da Bahia (CPDD LGBT-BA) e Produtor de Cast Especialista da NARS aqui na Bahia.

 

Continuar Lendo

CIDADES

DIVERSIDADE: 2ª Roda de Conversa LGBT é realizada em Simões Filho

Publicado

em

Diversidade Simões Filho
56 anos de emancipação

Com o tema: Visibilidade Trans, a Prefeitura Municipal de Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador, realizou, nesta quinta-feira (24), o segundo encontro da Roda de Conversa LGBT, no Auditório do Centro Social.

A proposta foi sensibilizar a sociedade sobre as questões relacionadas à cidadania, aos direitos humanos e ao acesso à saúde pública que envolve a comunidade de transexuais e travestis.

“As pressões sociais são contínuas e tornam-se uma violência constante e a Prefeitura chama vocês (LGBT) para discutir políticas públicas para nós, porque só você sabe como é ser você”, pontuou o psicólogo e mediador do evento, Luan Gonçalves.

Ainda hoje, devido à discriminação, a população de trans e travestis têm grande dificuldade de alcançar níveis mais elevados de escolaridade, ter acesso ao mercado de trabalho e ao atendimento de saúde especializado, além de ser alvo de violência diariamente.

“O importante dessas rodas de conversas é o conhecimento, tanto para nós LGBT, quanto para o público em geral, que muita das vezes não conhecem o tema/público. Isso que aconteceu aqui hoje é extremamente importante. Parabéns a todos, parabéns a Prefeitura”, disse a travesti, Israela Trindade.

 

 

CALENDÁRIO DOS ENCONTROS

 

06/06 – Territórios Marginais;

20/06 – Homofobia, depressão e drogas;

04/07 – Visibilidade Lésbica;

18/07 – Um outro mundo é possível: sem machismo, racismo e homofobia.

 

Por ASCOM/PMSF

Continuar Lendo

CIDADES

Palestra sobre Qualidade no Atendimento é realizada em Simões Filho

Publicado

em

Palestra sobre qualidade no atendimento
56 anos de emancipação

Profissionais do turismo, pessoas que almejam ingressar no mercado do turismo, servidores  e estudantes de nível médio e superior participaram, na manhã desta quinta-feira (24), no Auditório do Centro Social de Simões Filho, da capacitação sobre “Qualidade no Atendimento”, que visa qualificação  e reciclagem com certificação para os profissionais da área.

“A intenção é levar o atendente ao nível de excelência, mas para isso é preciso exercitar. Hoje, demos várias dicas para que as pessoas se coloquem no lugar do outro e transmitam a mensagem da melhor maneira possível”, disse o palestrante, Alexandre Cambeses Garcia.

Entre os temas que foram abordados, estão: Por que receber bem o turista; Empatia; Controle suas emoções; Postura profissional; Comunicação; Atendimento diferenciado; Tratar bem x Atender bem; Matriz dos perfis de comportamentos; Canal de percepção sensorial do turista; Por que se perde um cliente; O que não é correto em um atendimento; Atitudes para um excelente atendimento.

A líder quilombola, popularmente conhecida como Lôra, chegou cedo na palestra e elogiou a iniciativa.

“Isso nos desperta para a importância de entregarmos o melhor para o cliente ou turista. Foram apresentadas as oportunidades de melhorias no relacionamento, de modo a garantir tanto a satisfação do cliente, quanto a fidelização. Já estou aguardando a próxima palestra”, disse.

A iniciativa faz parte do Programa Proqualisetur, vinculado ao Governo do Estado, e foi realizada em parceria com a Prefeitura de Simões Filho, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Copyright © 2017 Página Simões Filho