Conecte conosco

Salvador

Sincretismo religioso e alegria marcam a Festa do Bonfim

Publicado

em

56 anos de emancipação

A Lavagem do Senhor do Bonfim, uma das festas populares mais tradicionais da Bahia, reuniu milhares de pessoas da Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no bairro Comércio, à Colina Sagrada, onde fica a Igreja do Bonfim, em Salvador, na manhã de ontem quinta-feira (15).

Realizado há 261 anos, o secular ritual de percorrer oito quilômetros a pé teve início às 9h. Vestidos de branco, devotos tomaram banho de água de cheiro, dançaram, cantaram e renderam graças ao Nosso Senhor do Bonfim – Oxalá para as religiões de matriz africana.

No trajeto houve inúmeras manifestações culturais, como rodas de capoeira e o cortejo das baianas. Ao som de cânticos religiosos, pelotões de ciclistas, filhos de Gandhy e missionários completaram o percurso. Já na Colina Sagrada, a festa foi concluída com a lavagem das escadarias da Igreja do Bonfim pelas tradicionais baianas, que esperam o ano todo pelo dia festivo.

“Faz parte da vida de uma baiana percorrer todo o trajeto e depois realizar a lavagem. Começamos a nos preparar para o ano seguinte quando a festa acaba. Fazemos tudo com carinho para homenagear o Senhor do Bonfim”, explica a baiana Eunice Menezes.

Agradecimento

Do lado de fora da Igreja, os adeptos do Candomblé tomavam banhos de folhas e pipocas. O objetivo era limpar o corpo e a mente da negatividade e também agradecer. “Participo todo ano, mas 2014 foi um ano especial para minha saúde. Consegui vencer três miomas, com a ajuda do meu orixá. Hoje estou aqui para agradecê-lo”, conta a empregada doméstica Elza de Jesus.

O babalorixá do Terreiro de Narandiba, Adson Araújo, afirma que o ritual atrai as pessoas pela eficácia. Segundo ele, é uma limpeza do espírito. “Os banhos são uma renovação do espírito, uma limpeza da alma para que as pessoas se sintam melhor e eliminem os problemas”.

Turismo

Além dos baianos, a Festa do Senhor do Bonfim, que no ano passado se tornou Patrimônio Imaterial Nacional, atraiu turistas de diversas partes do planeta. Alguns vieram pela primeira vez, outros retornaram para pedir bênçãos e fazer agradecimento pelas graças alcançadas. “Conheci a lavagem há cinco anos e, desde então, venho todo ano. Sou católica e acredito no Senhor do Bonfim. Toda vez que participo das celebrações tenho um ano especial“, diz Luciana Costa, que mora em São Paulo.

A presença de muitos turistas nos festejos reforçou a expectativa do secretário estadual do Turismo, Nelson Pelegrino. Segundo o titular da pasta, a Bahia deve receber até o fim do verão cerca de 450 mil visitantes, e a famosa lavagem é um dos principais atrativos no mês de janeiro.

“A Bahia é o quarto destino do país e o primeiro do Nordeste. Sem dúvida, as pessoas vêm ao nosso estado em busca de suas praias, belezas naturais. Mas acredito que a Festa do Bonfim antecipa a vinda dos visitantes. Depois do Carnaval, é a principal festa a céu aberto. Contudo a Bahia ganha um reforço importante no turismo, colhe frutos, inclusive, com a hotelaria, que se torna mais forte com a taxa de ocupação dos hotéis”, afirma Pelegrino.

Marcado pelo sincretismo religioso, unindo fiéis católicos e do candomblé, o evento é o lado profano das homenagens ao padroeiro dos baianos, iniciadas no último dia 8 de janeiro, com o hasteamento da bandeira e a novena preparatória.

Segurança Pública

Para garantir uma festa de paz, o Governo do Estado, por meio da Polícia Militar, montou um esquema especial de segurança nos oito quilômetros do cortejo. Com o efetivo de 1.672 policiais militares, foi possível garantir a ordem na festa. A intensificação do policiamento teve início no último dia 8, com a abertura oficial da programação da Igreja do Bonfim, seguida de novena, e se estende até 18 de janeiro (domingo), quando ocorre a procissão que encerra as comemorações.

A sensação de segurança proporcionada pela presença dos policiais militares fez com que a empregada doméstica Sandra Araújo, 60 anos, reservasse um espaço no calendário para voltar em 2016. “Tem polícia por todos os lados. Estava comentando isso com meu marido, e ele concordou: a gente se sente mais seguro. Espero que seja assim também no próximo ano, quando estarei firme e forte”.

Cregional – Correio Regional

Jornalista DRT/MTB nº 4584/BA - Atualmente é editor dos sites Tudo é política e Página Simões Filho. Tem formação em contabilidade e experiência como Instrutor profissional nas áreas de designer gráfico e programação para web.

Salvador

Criança morre em desabamento de prédio em Salvador; Duas pessoas ainda não foram localizadas

Publicado

em

56 anos de emancipação

As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Geral do Estado. Uma mulher de 35 anos está em estado de saúde estável com ferimentos na face. Uma menina de 11 anos sofreu traumatismo craniano e também está estável. Um homem de 29 anos está com ferimentos na face e escoriações. O estado de saúde dele é instável. O menino de doze anos morreu.

Ainda segundo a Secretaria, o SAMU também prestou atendimento em populares que passaram mal.

 Um prédio de três andares desabou na manhã desta terça-feira, na Rua Alto de São João, no bairro de Pituaçu, em Salvador. Segundo os Bombeiros, no total, sete pessoas foram soterradas.

Moradores e bombeiros continuam no local na tentativa de retirar as demais vítimas.

Uma mãe e uma filha foram resgatadas antes das 7h e atendidas por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A criança morta foi retirada por volta das 7h30 dos escombros.

O desabamento ocorreu por volta das 6h.

Continuar Lendo

CIDADES

Prefeito apresenta esquema especial do Festival Virada Salvador

Publicado

em

56 anos de emancipação

Faltam apenas dois dias para a maior festa de virada de ano gratuita do país, promovida na primeira capital do Brasil, e o esquema de serviços municipais para o Festival Virada Salvador 2018 já está completamente montado pela Prefeitura. Os detalhes foram apresentados nesta terça-feira (28), na Arena Daniela Mercury, na Boca do Rio. Na ocasião, estiveram presentes o prefeito ACM Neto e o vice, Bruno Reis, acompanhados de demais secretários, autoridades e imprensa. Logo depois da coletiva, foi dada a volta inaugural na roda gigante, uma das atrações a serem oferecidas para o público que vai conferir o evento a partir desta quinta (28) até segunda-feira (1º).

O esquema contará com 2,3 mil servidores e colaboradores da Prefeitura e reúne serviços como trânsito, transporte, saúde, proteção ao patrimônio público, ordenamento do comércio ambulante, fiscalização de publicidade e limpeza, dentre outros. A abertura dos portões acontecerá sempre a partir das 16h, exceto no dia 1º, que será às 15h.

A mudança de local da festa da virada soteropolitana – do Comércio para a Boca do Rio – foi feita com o intuito de dar mais conforto ao público. A expectativa da Prefeitura é de bater o recorde dos anos anteriores, quando reuniu cerca de 1,5 milhão de pessoas em cinco dias de evento. “Temos um espaço que comporta mais de 500 mil pessoas por dia e o mais importante: todos os que entrarem aqui vão passar por uma revista para que todos possam curtir com segurança. Também temos feito apelo para que todos cheguem mais cedo, afinal de contas a orla já é um local de grande tráfego, e priorizem o transporte público”, completou ACM Neto.

Além da Ambev, através da marca Brahma Extra, o Festival Virada Salvador ganhou mais um patrocinador. “Tivemos essa boa notícia de que a Caixa Econômica Federal também apoiará não apenas o Réveillon, mas todo o calendário de eventos da cidade. Com isso, mais da metade dos custos com a festa serão pagos pela iniciativa privada, através do que a Prefeitura está captando com os patrocínios. Isso facilita a administração municipal ampliar ainda mais a estrutura dessa festa e traz um retorno imenso para a cidade, principalmente para o setor de turismo e eventos”, afirmou o prefeito.

 

Tribuna da Bahia

Continuar Lendo

CIDADES

Pelourinho ganha Feira Agroecológica a partir desta quinta-feira

Publicado

em

56 anos de emancipação

Produtos da agricultura familiar, como hortaliças, frutas, legumes, verduras, mudas de plantas, sequilhos, doces em compotas e artesanato, além de rodas de conversa e até baianas de acarajé, vão compor a 1ª Feira Agroecológica do Pelourinho, que acontece a partir desta quinta-feira (9), das 9 às 16h, na Praça das Artes. O evento tem entrada gratuita e a ideia é que ocorra todas as quintas de cada mês. O projeto leva o nome de ‘Feira Agroecológica Nkaanda’, que significa família, nas línguas kimbundu e kikoongo, de origem bantu.

A iniciativa é da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado (SDR), em parceria com a Associação Nacional Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu (Acbantu), Associação Sol Nascente, Awá Ações Afirmativas e a Secretaria de Cultura (Secult), por meio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac).

 

A Praça das Artes tem entrada pela Rua Gregório de Mattos (em frente à sede do Olodum) e é administrada pelo Ipac. A ação integra o Programa de Dinamização de Espaços e Museus do instituto, que é responsável pelos principais espaços museológicos de Salvador  e equipamentos como Passeio Público e Palácio da Aclamação, entre outros.

O projeto da feira tem como foco a geração de emprego e renda, divulgar o potencial da agricultura familiar que existe na Bahia e dinamizar ainda mais o Pelourinho e adjacências. “Essa parceria é fundamental para ocupação dos espaços públicos, oferecendo à população um serviço diferenciado como feira agroecológica, artesanato de várias localidades da Bahia, além de lazer e cultura”, afirma o coordenador de Acesso ao Mercado da SDR, Ronaldo Silva.

As rodas de conversa foram criadas para se discutir a importância do projeto para a sociedade, a alimentação saudável, o baixo custo dos produtos da agricultura familiar, entre outros temas. Para a coordenadora de etnodesenvolvimento da Acbantu, Ana Maria Placidino, além da dinamização do espaço, a feira proporciona promoção, divulgação e acesso ao mercado.

Segundo ela, “o diferencial da feira é que os produtos são da agricultura familiar e, sem o uso de qualquer tipo agrotóxico no processo de plantação, o que torna os alimentos muito mais saudáveis”. Na Bahia, os agricultores familiares cultivam 90% da mandioca plantada no estado. Cada região tem sua particularidade. A Bahia é o estado com maior número de estabelecimentos de agricultura familiar de todo o País (15,2% do total) de acordo com dados da Secretária de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Copyright © 2017 Página Simões Filho