TEM UMA SIMÕES FILHO MELHOR
Educação ÚLTIMAS NOTÍCIAS

[REVOLTA] – Grupo de mães se reune para ir até a Prefeitura em protesto contra a greve dos professores.

[REVOLTA] – Grupo de mães se reune para ir até a Prefeitura em protesto contra a greve dos professores. 15 de setembro de 201118 Comments

Jornalista DRT/MTB nº 4584/BA - Atualmente é editor dos sites Tudo é política e Página Simões Filho. Tem formação em contabilidade e experiência como Instrutor profissional nas áreas de designer gráfico e programação para web.

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Um grupo de mães revoltadas com o descaso da Secretaria de educação do município, se reunirá para, em passeata pela Rua Elmo Cerejo Farias, seguir até Prefeitura para exigir uma solução imediata das autoridades quanto ao problema.

Maiores informações a qualquer momento.

 

 

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Jornalista DRT/MTB nº 4584/BA - Atualmente é editor dos sites Tudo é política e Página Simões Filho. Tem formação em contabilidade e experiência como Instrutor profissional nas áreas de designer gráfico e programação para web.

18 comments

  1. Olá a todos! Gostaria de primeiramente agradecer ao site pelo acompanhamento contínuo, e em especial pelo comparecimento da redação na manhã do dia 20. Infelizmente a reunião marcada para o citado dia não ocorreu no período da manhã,e sim no período da tarde. Alguns professores estiveram reunidos na Praça da Bandeira, enquanto o prefeito, seus representandes e o sindicato dos professores estavam no Ministério Público. Após árdua conversação de aproximadamente 2 horas e meio, o técnico da Aplb Joel veio nos dar um parecer desmotivador: o prefeito estava irredutível. Foi aí que a categoria resolveu se flexibilizar, e aceitar uma parte da reposição em cima do polêmico auxílio alimentação. Em resumo, recebemos um percentual de 9% em cima do salário base, e 9% em cima do auxílio alimentação. Muitos professores estão radiantes, pois estão acreditando que conseguimos um ganho de “18%”, o que não é fato. No salário base tivemos apenas 9%. Lembrem-se que estávamos lutando por 19% de perdas salariais! Lembrem-se também que os valores do auxílio alimentação são de 100 e 70 reais, e que esses 9% totalizam R$ 9,00 e R$ 6,30 (respectivamente). A parte positiva deste movimento é que ficou claro a potencialidade e organização da nossa categoria. A luta continua, sempre!

  2. Graças a DEUS acabou a greve dos professores,agora é hora de recuperar o tempo perdido,estudar dias de sábado,e até o mes de janeiro estudando entre outros.Espero q tenham tido êxito nas questões reivindicadas.

    1. Cara Luciene gostaríamos de saber o resultado da reunião. Estive presente lá pela manhã mas a tinha sido adiada e não pudemos acompanhar.
      Se possível nos envio um relato das decisões.

  3. Um texto para reflexão que mandaram para meu email, eu gostei muito pois é a pura verdade!
    Opss…já mataram a Dona Educação sem nenhuma emoção, observamos que o educador mais parece um zumbi dentro de uma sala de aula, autoestima abaixo de zero, só cobranças e desvalorização salarial. Acredito que isso seja uma técnica do governo, pois não há investimento na parte educacional. E uma vez o profissional se sentindo desmotivado sente-se impotente devido ao que lhe é oferecido.
    Outra coisa: aluno pode tudo e o professor é visto como um qualquer e não mais como um mestre educador. Olha, a única coisa que o educador ganha com esta profissão e um desgaste emocional e fisico! ! Acredito piamente que as condições pioraram e vão piorar mais. Justamente por não haver respeito a todos da classe educacional..

  4. Olá professoras,me dscupem se eu ofendir algumas de vcs com minha OPINIÃO,como tinha dito concordo em q vcs reividiquem por condições de trabalho,salário etc,o q eu queria efatizar é a bola de neve q está se formando com essa greve,tenho ciençia de q vcs ñ tem material para trabalhar,pois já pagei o papel pra as provas. E sobre os q estão em função ñ tinha conhecimento sobre isso,grata pelo esclarecimento.Epero q esta situação resolva mais breve possível.

    1. Cláuda, parabéns pela sua atitude de pedir desculpas. Você expressou sua opinião e esse direito ninguém pode lhe tirar.
      Certamente todos entenderam que você colocou um outro ponto de vista.
      Os Professores estão em uma luta que merece apoio e respeito. Por outro lado nossos filhos realmente estão “pagando o pato” por toda essa situação.
      Este espaço é democrático e todos podem opinar dentro dos limites do respeito ao próximo e você é merecedora de nosso respeito bem como todos os professores de nossa Cidade.

      Rui Barbosa disse: “Posso não concordar com nada que que você diga, mas defenderei até a morte o direito que você tem de dizer.”

  5. Professor Mario, agradeço o convite e fico feliz pela existência de um canal de comunicação que abra espaço para discussão de um direito fundamental que é a educação. Reafirmando a fala da professora Lu, é preciso agradecer às mães que compreendem nossa reivindicação. A mãe que se posicionou, Lu, foi extremamente feliz ao colocar que a escola não é o único espaço de educação. Família, comunidade, associações, igreja devem andar em diálogo com a escola. E diálogo não é sinônimo de “concordância com tudo”, mas de espaço de discussão e reflexão para que se chegue a um denominador comum, que possa atender a todos e principalmente aos educandos. A prefeitura vem apresentando nos meios de comunicação que ofereceu 12% de aumento e que a proposta não foi aceita. A afirmação é verdadeira mas incompleta. A tal proposta é que este valor entre como um abono, fato inaceitável. Estamos lutando não por aumento mas por reposição de perdas, de quatro anos, de 25,71% no salário base. Qualquer valor que entre como abono pode ser retirado nas próximas gestões e não é incorporado na aposentadoria. Hoje um professor com nível superior em início de carreira recebe por 40h de trabalho, em Simões Filho, R$1171,00. Vamos fazer uma breve comparação com as cidades vizinhas, quanto recebem professores nesse mesmo quadro de trabalho. Salvador R$1243,72; Lauro de Freitas R$1788,49; Candeias (REDA)R$1400,00; Madre de deus (em 2008)R$2667,46. Vamos aguardar a reunião que está marcada para a próxima terça esperançosos da resolução desta situação.

  6. Um apelo, pelo amor de Deus como é que uma professora pode alfabetizar 30 alunos em uma sala, pois é meu filho quando chegou no primeiro ano escolar ficou abismado pois ele disse que na sal dele tinha crianças de 9 anos que mal sabia as vogais e a professora pediu ajuda dele pois quando ele foi para escola já sabia ler pois esse é um dever que acredito que nós devemos fazer em casa já que as salas de alfabetização tem 30 alunos imagine sem ajudante tomar leitura dessa turma toda ! alem do mais crianças com falta de educação domestica que nao respeita ninguem nem a diretora , enquanto mae eu faço tudo pelos meus filhos e quero mais , que eles seja educados por profissionais que tenha conciencia critica, reflexiva e destemida para atuar em sala e fora ! Professores vcs não tem culpa não a culpa é de quem está na administração que acha que o dinheiro publico é da mãe joana! Continue assim da exemplo de luta pelo seus ideais e direito é o exemplo de professores que quero que meus filhos tenham na vida deles!

  7. saudações á todos

    muito bem professora Rosangela temos que para de ser analfabeto constitucional, sou mãe e não quero meu filhos que nem eu dependendo de promessas de políticos , pois nós precisamos de ter em nossas vidas conciencia politica , de saber que a cf nos ampara para termos educaçao de qualidade, saúde de qualidade e etc, mas para que isto ocoora é preciso luta pois o sistema deles é eu estou no cargo eu mando mas nao é bem assim não o que adianta está na sal de aula sendo adestrado pelos politicos nao quero isso para meus filhos não! outra coisa sabemos quem quer aprender de verdade não é só na escola que se tem conhecimento não e sim em todo lugar, em casa , em cursos , na tv, na net etc só serão prejudicados aqueles que acreditam que só é na escola que se aprende pois bem sempre digo aos meus filhos em uma classe com 30 e 40 alunos um professor da a base se quiser aprender mais leia e se assim não entender peça ajuda alguem que entende é assim que se aprende! aqui o conhecimento é algo do querer aprender! professores contem comigo!

  8. Gostaria que a senhora Claudia e o senhor Mario sugerissem como é “que se coloca a coisa pra funcionar?” e inclusive convidá-los para participar da próxima assembleia dos professores para partilhar suas opiniões. Bem, não sei a profissão de vocês, mas posso falar com muita propriedade da minha, da qual me orgulho, faço com zelo e não pela remuneração (aliás é pertinente destacar que não são poucas as vezes das quais utilizo dos meus recursos e materiais para exercê-la). PRIMEIRO: sobre a greve- Seguindo a esteira do direito internacional, é de se notar que o artigo 9º da Constituição da República Federativa do Brasil garante ser assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender, não sendo demais sublinhar que o mencionado preceptivo (artigo 9º da CRFB) está topologicamente inserido no título II da Magna Carta, que trata dos direitos e garantias fundamentais dos cidadãos, dentre eles, obviamente, o cidadão-trabalhador. SEGUNDO: sobre a verba do Fundeb destacando o seu significado – O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de “Valorização dos Profissionais da Educação” atende toda a educação básica, da creche ao ensino médio, que é a complementação do dinheiro aplicado pela União no município, o Demonstrativo Financeiro relata que, Simões Filho, em 2010 (ver em http://www.fnde.gov.br/index.php/fundeb-consultas/1894-nota-de-esclarecimento-no-12010) foi de 1.494.523,23. TERCEIRO: sobre o piso salarial dos professores- remuneração mínima do professor de nível médio e jornada de 40 horas semanais para R$ 1.187,00 (fonte:http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16373:piso-do-magisterio-sera-reajustado-em-1585-e-subira-para-r-1187&catid=372&Itemid=86), logo, 20h=593,50. O meu base é 545,00, ou seja, menos quase 10% no SALÁRIO BASE. Logo, desconheço as razões pessoais ou políticas pelas quais há professores que não aderiram a greve, mas sei as razões LEGAIS e CONSTITUCIONAIS que me fazem participar da mesma.

    1. Cara professora Rosangela;
      Sou Professor nas áreas de cursos profissionalizantes. Es estou grato pelo coonvite. Trabalho durante todo o dia em salvador e sempre que posso faço a cobertura do acontecimentos da cidade. Dependedondo do horário da assenbléias talvez não esteja presente pois deverei estar em sala de aula. Mas o site aqui está à disposição para que vocês me expressem da melhor forma possível.
      Quando disse que é assim que se “coloca a coisa pra funcionar”, quiz dizer que, é devemos chamar a atenção da população com ações e cumunicação. Comunicar é o objetivo deste portal.
      Seja bem vinda e continue nos visitar e caso queida, torrne-se uma editora em nosso site. o Convite está aberto.

  9. Olá Senhora Cláudia! Entendo o seu sentimento e angústia, mesmo porque também sou mãe de aluno da rede municipal. Por outro lado sou professora. E aqui, como professora, gostaria de dizer à senhora que o cúmulo não são as paralisações feitas pelos professores, o cúmulo é o descaso do nosso governo com a educação numa visão geral… não se trata só de melhorias salariais, o questão não é só essa… não sei se é do seu conhecimento, mas a maioria das escolas do município não dispõe de nenhumm (ou quase nenhum) material para os professores ministrarem suas aula. Não tem papel de nenhuma espécie, não tem marcador para quadro, não tem nada! Só a boa vontade dos professores, que recebem um mísero salário de 545 reais, tenho aqui meu contracheque e mostro a quem quiser ver! O pior é o investimento que fazemos em nossa profissão, pagando faculdades e livros caríssimos, e o retorno financeiro não temos nunca… a senhora cita também que algumas escolas estão tendo aula… e estão sim, mas a senhora sabe porquê? pois eu respondo: muitas colegas estão dando aulas por perseguições políticas, muitas tem o “rabo” preso, devem favores a vereadores, ou tem parentes com empregos contratuais em diversas secretarias… eu, por exemplo, tenho uma amiga professora que não está participando do movimento, sabe o motivo? Ela é concursada, mas o marido dela não, aí o emprego do marido está sob ameaça… o governo aqui é assim, ditador. Quando não pode atingir o professor diretamente, atinge um familiar ou conhecido… a coisa aqui é suja, a senhora, acredito eu, não imagina! Fico triste, pois o discurso é sempre o mesmo: a culpa dos alunos estarem sem aula é sempre do professor, quando na realidade, essa responsabilidade é de todos, principalmente dos governantes.

  10. PENSO QUE OS PROFESSORES ESTÃO CERTOS EM REINVIDICAR SEUS DIREITOS,POIS PRECISAM DE SALÁRIOS COMPATÍVEIS COM A ÀRDUA TAREFA DE PREPARAR OS JOVENS PARA O FUTURO.AS MÃES TAMBEM ESTÃO CERTAS POR QUERER O MELHOR PARA SEUS FILHOS.O QUE TODOS OS PAIS ANSEIAM PARA SEUS FILHOS É A EDUCAÇÃO ESCOLAR PARA VE-LOS FORMADOS NA PROFISSÃO QUE ESCOLHEREM NO FUTURO.
    MAS,E OS ALUNOS,COMO FICAM DIANTE DESSE IMPASSE?JÁ PASSOU DA HORA DO PREFEITO RESOLVER ESTA SITUAÇÃO.VERBA PARA A EDUCAÇÃO NÃO FALTA.

  11. Pera aí,eu concordo q os professores ñ tem um salário digno,mas fazer greve é o cúmulo, pois ñ é deixando de dar aulas q o prefeito irá resolver ,tanto é q esta greve já dura um bom tempo,e quase todo ano tem.Façam igual a escola Juciete(antigo Otto Alencar) q esta dando aula normalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *