Mutirão de limpeza Simões Filho
Saúde ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Morte de recém-nascido em Simões Filho abala a Cidade

Morte de recém-nascido em Simões Filho abala a Cidade 24 de fevereiro de 20121 Comment

Jornalista DRT/MTB nº 4584/BA - Atualmente é editor dos sites Tudo é política e Página Simões Filho. Tem formação em contabilidade e experiência como Instrutor profissional nas áreas de designer gráfico e programação para web.

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O caso foi registrado na polícia pelo pai da criança que pede justiça.

O caso aconteceu no dia 10 deste mês mas só agora foi divulgado pela TV Bahia no Jornal da manhã desta sexta-feira(24).

A reportagem mostra dois casos, dois casais que perderam seus bebês após terem percorrido várias maternidades.

O Caso ocorrido com um casal morador do bairro do CIA, Dona Josélia a mãe, conta que buscou atendimento no hospital municipal de Simões Filho no dia 10 de fevereiro as 9h, mas foi orientada pelos médicos  continuar checando os batimentos cardíacos do bebê a cada dois dias já que estava com 41 semanas de gestação e orientaram procurar a maternidade José Maria de Magalhães, assim relatou a mãe, dona Josélia.

Em agonizantes horas entre idas e vindas entre a maternidade José Maria de Magalhães e o Hospital de Simões Filho o casal conta que totalizaram mais de 100km percorridos.
Chegando em Simões Filho, os médicos pediram os exames feitos na maternidade, mas a dona de casa não ficou com os resultados e teve voltar para a maternidade José Maria de Magalhães. “Não tinha médico na maternidade, nem deixaram entrar”, lembra.

 

Desesperado, o Marido da Srª Josélia,  a levou para a maternidade Tsylla Balbino na madrugada de sábado (10).

 

“Cheguei por volta de meia-noite e os dois obstetras estavam em parto. Fiquei esperando até 3h, quando viram que estava com um sangramento. Foram falar com os médicos. Quando eu entrei na sala vi que um deles estava assistindo televisão. Fui examinada e eles disseram que o coração do bebê estava batendo e que o sangramento era normal”, afirma.

Rúbia disse que teve um novo sangramento por volta das 4h da manhã. “Era muito intenso. Me preparam para o parto cesáreo e uma médica me avisou que o bebê podia nascer morto porque tive descolamento de placenta, porque a placenta estava velha. Uma enfermeira chegou a dizer a minha irmã, que me acompanhava, que o bebê só seria salvo por um milagre e que a cirurgia ia ser feita para salvar a minha vida”, conta.

A criança, uma menina que se chamaria Radassa, nasceu sem vida. A causa da morte ainda não foi esclarecida. A certidão de óbito expedida pelo cartório diz que o motivo do óbito de Radassa é desconhecido. O pai da criança levou o caso à polícia. A mãe diz que o fato abalou toda a família e que eles querem justiça. “Estamos esperando o laudo do Instituto Médico Legal. Eu lembro que pediram adrenalina quando a minha filha nasceu e não foi para mim. Eu acho que ela nasceu viva, teve erro médico ali”, afimou em entrevista ao G1 nesta quinta-feira (23).

Em nota, a Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) informou que está apurando as mortes dos bebês na maternidade Tsylla Balbino.

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Jornalista DRT/MTB nº 4584/BA - Atualmente é editor dos sites Tudo é política e Página Simões Filho. Tem formação em contabilidade e experiência como Instrutor profissional nas áreas de designer gráfico e programação para web.

One comment

  1. Acho um absurdo termos um hospital municipal que não tem condições de atender uma mulher em trabalho de parto e outras maternidades em Salvador deixarem as mães perderem seus bebês.Lamentável,vamos reinvindicar uma matermidade de grande porte para simoes filho.Solidariedade às famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *