Conecte conosco

Futebol - VITÓRIA

VITÓRIA VENCE SUA PRIMEIRA PARTIDA NO CAMPEONATO BRASILEIRO

Publicado

em

Vitória vente e bate no vasco
Simões Filho tá Mudando
 

O Vitória venceu sua primeira partida no Campeonato Brasileiro neste domingo (13). O rubro-negro ganhou Vasco por 3 a 2, em São Januário.

Aos 17, na saída de bola do Vasco, Neilton pressiona o goleiro do Vasco, que tira, mas a bola sobra para André Lima. O atacante aproveita e manda rasteiro no canto esquerda do goleiro Martín. Aos 39, o Vasco empatou, com cobrança de Pikachu no canto esquerdo de Caíque.

Aos 25 da segunda etapa, Wallyson dá passe para Lucas Fernandes que leva a bola com tranquilidade e finaliza. Aos 30, Werney marca contra, na cobrança de escanteio, quando desvia de cabeça para o próprio gol. Aos 38, Rafael Galhardo cobra na área, a defesa afasta e a bola sobra para Kelvin. o atacante joga para a área e encontra Ríos para finalizar para as redes.

O Vitória volta a campo na quarta-feira (16), às 19h15, para enfrentar o Sampaio Corrêa, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Nordeste. A partida será no Maranhão.

P U B L I C I D A D E

Futebol - VITÓRIA

VITORIA: PERDEU? DEMITE O TÉCNICO E FICA COM O RESTO. GENIAL!

Publicado

em

E o filme se repete: depois de resultados ruins, a diretoria do Vitória demite o técnico para fingir que está buscando soluções para o time, no Brasileirão.

Ao final de mais um vexame, hoje, 30 de julho, dessa vez contra o Atlético-PR, o técnico Wagner Mancini foi demitido, finalizando mais um ciclo do mesmo no comando do Vitória.

Em 2018 Mancini conseguiu em 45 jogo, 21 vitórias, 8 empates e 16 derrotas.

O presidente Ricardo Davi decidiu, após a derrota de hoje, demitir o técnico, mas fica com o resto.

Continuar Lendo

Esportes

VERGONHA SE REPETE E 1º BAVI DE 2018 ENCERRA-SE APÓS NOVE EXPULSÕES

Publicado

em

No primeiro clássico DE 2018,  a equipe do Vitória recebeu, no Barradão, neste domingo (18) a equipe do Bahia pela sexta rodada do Campeonato Baiano.

Esperava-se um espetáculo, mas o que se viu foi muita violência. Jogadores das duas equipes foram expulsos após iniciarem uma briga no campo.

O placar contava 1 a 0 para o vitória, mas o empate veio logo no início do segundo tempo. Uillian Correia colocou a mão na bola dentro da área. O pênalti foi cobrado e convertido em gol por Vinícius, que na comemoração dançou e provocou a torcida do Vitória.

Fernando Miguel, goleiro do Vitória, não gostou da provocação e partiu para tirar satisfação com o jogador quando se desencadeou uma confusão generalizada com socos, empurrões e xingamentos entre vários jogadores das duas equipes, além de invasão de campo por jogadores que estavam nos bancos de reservas.

Ainda com os ânimos acirrados, a árbitro Jaílson Macedo Freitas, começou a distribuir cartões vermelhos e amarelos para vários jogadores, tanto do Bahia quanto do Vitória.

Os jogadores titulares do Vitória expulsos foram: o zagueiro Kanu, o meia-atacante Rhayner e o atacante Denílson.

No lado do Bahia, foram expulsos Rodrigo Becão e Edson, que estavam no banco de reservas.

Os titulares Vinícius e Lucas Fonseca também levaram dois cartões vermelhos.

Na volta do jogo, Uillian Correia levou o segundo amarelo e foi expulso após falta no campo de defesa.

Há a suspeita de que jogadores do Vitória teriam recebido orientação do treinador Vagner Mancini para provocar a expulsões.

Antes da cobrança da falta marcada, o zagueiro Bruno Bispo, que também estava amarelado, recebeu um segundo cartão e também foi expulso, o que impossibilitou a continuidade da partida por número insuficiente de jogadores no time do Vitória. Acredita-se que o jogador tenha provocado o recebimento do cartão.

Com o encerramento a partida, a classificação parcial ainda está indefinida e só será decidida pelos tribunais. Segundo o regulamento geral de competições da CBF, o Bahia deve ser declarado como vencedor, pelo placar de 3 a 0.

VIOLÊNCIA SE REPETE

A confusão de hoje, lembra a do dia 30 de abril de 2017, em um clássico com torcida única na Arena Fonte Nova em que vários jogadores dos dois times se esbofetearam, se agrediram após provocações. Assista:

Continuar Lendo

Futebol - VITÓRIA

Ricardo David é o novo presidente do Vitória

Publicado

em

Ricardo Davi - foto (Mauricia da Matta / EC Vitória)
Com 945 votos (52%), empresário vence a eleição no 1º turno

O Esporte Clube Vitória tem um novo presidente. Nesta quarta-feira (13), os sócios do Leão elegeram o engenheiro eletricista Ricardo David, de 56 anos, ao posto mais alto do clube. Ricardo assume a vaga deixada por Ivã de Almeida, que renunciou ao cargo em novembro, e vai comandar o clube em um mandato tampão pelos próximos dois anos.

“O sentimento é de muita alegria. Eu me preparei para isso. Agradeço a Deus pela responsabilidade. Eu sei da enorme responsabilidade. São quase três milhões de pessoas que esperam por mim. Vou trabalhar com todo afinco pelo Esporte Clube Vitória”, disse ele logo após o resultado.

 Para vencer a eleição, a chapa formada por Ricardo David e Chico Salles somou 945 votos, ou 52%, deixando para trás os candidatos Manoel Matos (607), Raimundo Viana (229), Tiago Ruas (13) e Gilson Presídio (7). Nove torcedores votaram nulo, totalizando 1.810 votos. Após o pleito, Ricardo David foi empossado presidente do Vitória e garante que já iniciou os trabalhos no Leão.

Como um dos primeiros desafios, o novo presidente terá a montagem do elenco para a temporada 2018. Alguns jogadores têm contrato encerrando no mês de dezembro, enquanto outros têm propostas para deixar o clube.

Conforme já anunciado por David, o diretor de futebol rubro-negro será Erasmo Damiani, ex-coordenador de seleções de base da CBF e que acumula passagens por Figueirense, Palmeiras e Atlético-PR. Já o técnico Vagner Mancini segue no comando.

“Não espere de mim nada mirabolante, nada que não possa ser implementado. O Vitória precisa de novas práticas, precisa ter agregado todo o futebol, toda parte financeira, o que há de mais moderno. Eu estou reunindo pessoas que vão me ajudar nesse processo e tenho certeza que com essa tecnologia, o torcedor terá muitas surpresas”, afirmou.

No estacionamento do Barradão, torcedores comemoraram a vitória de Ricardo David. Um dos presentes, o ex-jogador e empresário Ricky, afirmou que um dos planos do novo presidente é mapear jogadores que atuam no continente africano.

Correio24horas

Continuar Lendo

Esportes

VITÓRIA EMPATA COM O GRÊMIO E SE DISTANCIA DO Z4

Publicado

em

Do Terceiro tempo – O Grêmio vai ter que esperar um pouco mais para confirmar vaga direta à fase de grupos da Libertadores de 2018 via Campeonato Brasileiro. Neste domingo (12) o Tricolor saiu atrás e buscou o empate contra o Vitória, em Caxias do Sul, em jogo válido pela 34ª rodada: 1 a 1. A partida marcou a volta de Lucas Barrios, ausente desde 25 de outubro.

O resultado do Grêmio faz o Corinthians sorrir. Com 10 pontos a mais, o Timão pode ser campeão na próxima quarta-feira. Para isso, basta vencer o Fluminense em São Paulo. No mesmo dia, o Tricolor recebe o São Paulo. A diferença é que a partida em Porto Alegre começa às 19h30 (Brasília) e o duelo em Itaquera inicia às 21h45min.

Os gols em Caxias do Sul foram de Patric e Fernandinho em um intervalo de dois minutos. No segundo tempo, Fillipe Souto foi expulso e transformou o jogo em ataque contra defesa. Com o Grêmio correndo para virar o placar e chegar perto de sua conta.

A projeção do Grêmio é conquistar 63 para assegurar seu lugar na Libertadores do ano que vem. Mas as contas indicam que com 60 pontos já é certa a vaga. O empate no Alfredo Jaconi deixa o Tricolor com 58 pontos. Ou seja, ainda sem o carimbo de classificado. Já o Vitória chega aos 39 pontos e ainda continua correndo do fantasma do rebaixamento.

O jogo em Caxias foi bom. Aberto, corrido. Com lances bonitos e boas chances para ambos os lados. Na metade do segundo tempo, o Grêmio empilhou atacantes para aproveitar o homem a mais e buscar a virada. Não surtiu efeito.

Fernando Miguel sente a coxa, mas salva o Vitória

O goleiro do Vitória foi protagonista. Com boas defesas nos dois tempos, mas também com um desconforto muscular que rendeu minutos de pausa em meio à pressão do Grêmio. Na etapa final, Fernando Miguel chegou a enfileirar três intervenções importantes em sequência.

Fernandinho faz gol e termina jogo como lateral

camisa 21 foi um dos personagens da tarde em Caxias do Sul. Pelo gol marcado de cabeça, mas também pelas mudanças no posicionamento ao longo do jogo. Do começo pela esquerda a uma passagem pela direita e depois um recuo drástico. Nos últimos 25 minutos, Fernandinho passou a ser lateral esquerdo. A troca foi pouco depois do Vitória ter um jogador expulso.

Grêmio se atira para frente de forma inédita

O Grêmio propôs o jogo, teve domínio, mas encontrou dificuldades para criar chances de gol. Diante dos problemas, acumulou passes laterais. Foi vazado quando protagonizou uma série de erros. De Jailson, Fernandinho e Leonardo. O trio falhou e foi gerando brecha para o Vitória progredir e marcar. O mesmo flanco acabou sendo decisivo para o empate. A jogada que terminou com o cabeceio de Fernandinho começou com disparada de Leonardo.

No segundo tempo o Grêmio se jogou todo para frente. E como nunca se viu no ano. Com um a mais depois da expulsão de Fillipe Souto, o Tricolor botou atacantes para furar o bloqueio do Vitória. Quando o time de Renato achou espaço, parou nas mãos de Fernando Miguel. O volume aumentou com Everton e Jael.

Vitória joga bem até a expulsão…

Bola no chão, velocidade. O Vitória não foi o típico desesperado contra o rebaixamento. Bem fechado atrás, o time baiano se organizou e tentou propor quando pôde. Saiu na frente, mas pecou ao não conter a investida quase imediata após o gol de Patric. Antes do intervalo teve pelo menos mais duas chances para marcar.

A atuação do Vitória seguiu igual até os 12 minutos do segundo tempo. Foi quando Fillipe Souto recebeu o segundo amarelo, foi expulso e o time visitante começou a sofrer.

Renato surpreende na escalação e nas trocas

Renato escalou Leonardo, Jailson e Barrios. Todas decisões surpreendentes. A conjectura da semana indicava Bressan como o improvisado na lateral. Também projetava Michel ao lado de Arthur e Barrios apenas no banco, para uma volta progressiva. Com a bola rolando, o técnico orientou uma troca inédita. Ramiro por Fernandinho, da direita para esquerda. Foi em uma dessas trocas que o gol do Grêmio saiu.

As surpresas não pararam por aí. No decorrer da etapa final, Renato deixou o conservadorismo de lado e botou Everton no lugar de Leonardo. Fernandinho foi recuado para lateral esquerda. E depois, Jael foi colocado em campo na vaga de Jailson. O Grêmio terminou o jogo com cinco jogadores no ataque.

Continuar Lendo

Futebol - VITÓRIA

VITÓRIA fecha com Neto Baiano para 2015

Publicado

em

O velho conhecido e xodó da torcida rubro-negra, o jogador Neto Baiano, foi apresentado na tarde desta quarta-feira(17), com o primeiro reforço do Vitória para 2015.

O maior artilheiro da história do BARRADÃO, Neto Baiano vestirá a camisa 9 nos Campeonatos Baiano, Nordestão, Copa do Brasil e na Série B do Brasileirão.

O jogador se diz pronto para ajudar o LEÃO a dar a volta por cima, depois de um 2014 vergonhoso para a Nação VERMELHA E PRETA.

“Por essa camisa eu dou a minha vida. Venho para contribuir com o grupo e sou um cara determinado e que gosto de vencer. Espero corresponder com a diretoria que tem uma confiança muito grande em meu trabalho, hoje sou um torcedor que gosto do Vitória de coração mesmo e quero ajudar. É o clube que eu amo”. Palavras de Neto Baiano.

Continuar Lendo

Esportes

OPINIÃO: Quando chamei Bahia e Vitória de Medíocre Futebol Clube me chamaram de louco

Publicado

em

 MEDIOCRE-FUTEBOL-CLUBECaros amigos; Estamos chegando ao final de mais um ano, e de forma triste, ao final de mais um Campeonato Brasileiro de Futebol. Como torcedor consciente, não me espanta ver a que ponto chegou o futebol baiano.

Ainda no início do campeonato, mais precisamente em 24 de abril (leia aqui), escrevi um desabafo e uma sugestão de protesto para as duas torcidas, tricolor e rubro-negra, mas como era previsível, fui chamado de louco e contestado por vários amigos e leitores que acreditavam que seus(nossos) times, não seriam rebaixados para a segunda divisão ao final de 2014. Agora estamos nós aqui, pasmos, ao ver no que se tornou o futebol baiano, um futebol medíocre, sem futuro e sem brilho. A sugestão que fiz no início do ano foi de esvaziar os estádios, mas agora sugiro algo mais: A fusão dos dois clubes em um só, com o nome Medíocre Futebol Clube.

Leia matéria publica em 24 de abril de 2014

Torcedores baianos, tomem vergonha, não vão aos estádios

Os dois principais times baianos, que tanto se provocam, que tanto brigam, que têm suas torcidas cegamente apaixonadas merecem, pelos resultados dos últimos dez anos, serem extintos do cenário nacional. Merecem ter suas histórias, que tanto iludem seus torcedores, apagadas dos registros esportivos do futebol Brasileiro.

Senão, vejamos: De uma lado, uma torcida que nada mais tem além de dois campeonatos nacionais ganhos em épocas completamente distintas dos dias atuais, títulos que foram conquistados em condições completamente adversas das de hoje e que precisaram, anos após, serem incorporados aos registros de campeonatos nacionais da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) coisas do nosso futebol.

Do outro lado, uma torcida que sonha ver seu time conquistar seu primeiro título nacional, disputados nos moldes dos campeonatos atuais para honrar uma história secular.

Ano vai, ano vem, e nós torcedores baianos, feito bestas, enxergamos em títulos estaduais medíocres, disputados contra outros times também medíocres, algo do que possamos nos orgulhar. Todo ano a mesma história. BAVI versus VIBA, torcedores provocando torcedores e até, pasmem, matando torcedores adversários.

Mas, daí então, findado o campeonato entorpecente baiano de futebol, vem o Campeonato Brasileiro e a continuidade da Copa do Brasil, e nós, torcedores, feitos bestas, aplaudindo. Achando que temos TIMES GRANDES, vez ou outra inclusos na tal série A, fazendo o mero papel de coadjuvante, o papel de saco de pancadas para outros times que não têm nada de mais em termos estruturais, de torcida e dinheiro que os nossos Bahia e Vitória.

Ao final de todo jogo, nas redes sociais, veem as provocações. Tricolores tiram o sarro dos torcedores rubro-negros e vice-versa. E vem o próximo jogo…Tensão, sempre…

A verdade, caros Tricolores e Rubro-Negros, é que não temos nada do que nos orgulhar. Atualmente não temos times que honrem suas histórias. Nossos times não têm diretorias que tracem objetivos para que os times se destaquem de fato. NÃO TEMOS NADA! Nem a “Minha Porra do SARDINHA”, nem a “MERDA do NEGO” PQP!

Ficar na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, torna-se, após apresentações medíocres, a vitória ou o título tão esperado no final do ano. PQP de novo!

Torcedores, vamos tomar vergonha na cara. Vamos parar com essa história de CONTAR HISTÓRIAS. Quanto mais o tempo passa, piores são os resultados. Nossos filhos não sabem o que é ver nossos times triunfando, no sentindo pleno da palavra.

Os filhos dos tricolores parecem não entender porque seus pais torcem para um time que demostra já estar satisfeito com o que conquistou no passado e nada mais precisa ser buscado e sim, tentado, como se tenta a sorte quando se joga uma moeda em uma fonte qualquer, em uma praça qualquer, ao se fazer um pedido.

Os Rubro-negros ainda não sentiram o prazer de conquistar um título nacional expressivo. Seus filhos, nos últimos dez anos, passaram a acreditar, mas quando veem certas partidas… Meu Deus!

E antes que me perguntem para qual desses dois times Eu torço, lhes digo, sou Torcedor do Vitória. Vermelho e preto. Sou paixão. Respeito a torcida Tricolor merecedora de resultados tanto quanto a minha torcida Rubro-negra. E por isso, por ser um torcedor, consciente, posso assim protestar. Expressar minha revolta com a mediocridade atual com a quem vem se apresentando meu time. Um Campeonato Baiano perdido, uma desclassificação na Copa do Brasil para o desconhecido Jota Maluceli e um iminente rebaixamento para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro em 2014.

E o Bahia? Melhor nem comentar…

UTOPIA. As duas torcidas, juntas, poderiam criar um movimento em prol do futebol baiano. Em prol da honra de sermos duas grandes torcidas, que lotam os estádios acreditando sempre em nossos times.

E de que forma poderíamos protestar?

De uma forma como nunca se fez antes na história do futebol baiano. Esvaziando os estádios durante o resto do ano. Não comparecendo a nenhum dos jogos nos estádios. Só assim, as duas torcidas seriam percebidas pela suas ausências.

A força dessas ausências teria um efeito devastador na forma como as duas diretorias administram os times. Elas teriam como primeiro objetivo trazer de volta o torcedor aos estádios mostrando resultados satisfatórios e não passageiros, ilusórios. Resultados que nos faça vestir nossas camisas e beijá-las, que nos faça levantar nossas bandeiras e gritar: “Vumbora Vitória!”; “Bora Bahia Minha Porra!”

[Beijo no santo pendurado no pescoço, um sinal da cruz e uma rápida olhada pro céu e senta no sofá].

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Copyright © 2017 Página Simões Filho