Conecte conosco

Últimas do Dia

ADAB combate o abate clandestino e roubo de gado do sertão ao oeste baiano

Publicado

em

Uma força-tarefa composta por servidores da ADAB (Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia), Ministério Público, Polícia Militar, Procon, Ibametro, Sefaz e Vigilância Sanitária Municipal realizou ações de fiscalização intensiva no centro de Barreiras, território da Bacia do Rio Grande, para inibir o comércio de carne clandestina. Quase uma tonelada de carne imprópria para o consumo foi apreendida no município e levada à destruição em graxaria do matadouro frigorífico certificado.

As fiscalizações são sigilosas e organizadas de maneira planejada. “Cada técnico faz a sua parte de acordo com suas atribuições, durante a fiscalização”, ressalta a fiscal estadual agropecuária da ADAB em Barreiras, Kátia Pedroza.

“O mais importante desta última ação que aconteceu em meio à pandemia foi o apoio da população ao nosso trabalho, isso nos motiva ainda mais”, diz Kátia que destaca a participação da secretaria da Agricultura de Barreiras na fiscalização.

O MP-BA participou das ações sob a coordenação do promotor João Ricardo Soares. Agentes da ADAB de Barreiras vão organizar treinamento para os comerciantes de carnes sobre a manipulação e o acondicionamento dos alimentos.

Território do Sisal

Meia tonelada de carne foi apreendida na cidade de Tucano durante as ações desenvolvidas pela fiscalização da ADAB no Território do Sisal. O trabalho aconteceu também em Conceição do Coité, Biritinga, Santa Luz, São Domingos e Serrinha.

Nos locais, os agentes encontraram muita resistência dos comerciantes que tentam driblar a fiscalização para não seguir a exigência de abater os animais somente em frigoríficos credenciados. “Realizamos palestras explicando que o abate é um dos mais perigosos fatores de risco à saúde pública pela possibilidade real de ingestão de alimentos de qualidade duvidosa e a contaminação do meio ambiente”, explica Ednilton Brito, coordenador das operações de abate clandestino do Sisal.

Sertão Produtivo
Junto com agentes das Vigilâncias Sanitárias Municipais, as equipes da ADAB percorreram cerca de 1,5 mil quilômetros no Território do Sertão Produtivo durante dois finais de semana consecutivos em ações de combate ao abate clandestino.
“O trabalho prosseguiu através de trabalho educativo com palestras aos açougueiros, quando explicamos os riscos para a saúde pública com o comércio de carne clandestina e o aproveitamento de animais sem documentação que comprove a origem”, ressalta o médico veterinário Delcarlos Martinez. A

Foram visitados os municípios de Lagoa Real, Tanhaçu, Ituaçu, Contendas do Sincorá, Ibiassucê, Caculé, Caetité, Guanambi, Malhada de Pedras e Rio do Antônio, onde foram organizadas blitzes para checagem das GTAs nos Mercados Municipais.

Novos prefeitos

Uma das novidades da ação foi o encontro dos servidores da ADAB com prefeitos recém eleitos. “Conversamos com os prefeitos de Ituaçu e Contendas e, ao telefone, com os prefeitos de Guanambi, Caculé e o reeleito de Ibiassucê que garantiram abraçar a causa da segurança alimentar. Quem ganha com isso é a população. Só com uma parceria intensiva e fortalecimento das vigilâncias sanitárias municipais podemos contribuir melhor para uma causa coletiva e essencial”, declara o veterinário Clemente Fernandes, responsável pela fiscalização do matadouro frigorífico de Guanambi.

“As ações vão seguir com a programação de visitas em diversos Territórios de Identidade da Bahia e além do combate ao abate clandestino, com a presença de nosso núcleo especial em parceria com a Polícia Militar, estamos desenvolvendo inúmeras ações de inteligência para inibir o roubo de gado no estado”, arremata Maurício Bacelar, diretor-geral da autarquia.

P U B L I C I D A D E