Conecte conosco

Educação

Brasil participa de olimpíada de química na Argentina

Publicado

em

Competição reúne estudantes de 17 países.
Professor diz que delegação deve conseguir bom resultado.

Depois de serem premiados com medalhas na Olimpíada Internacional de Química realizada em Washington, nos Estados Unidos, quatro estudantes brasileiros voltam a representar o Brasil em outra competição internacional. O paulista Daniel Hara, e os cearenses Gabriel Mathews Pinheiro, Ramon Gonçalves da Silva e Vitória Nunes Medeiros embarcam neste sábado (22) rumo a Argentina para disputar a Olimpíada Ibero-americana de Química. Todos são estudantes do ensino médio.

“Nas últimas quatro competições, o Brasil conquistou o primeiro lugar na somatória de pontos. A expectativa é de que o resultado deste ano também seja bom. Os garotos estão motivados e bem preparados. Porém, teremos de enfrentar a Argentina, que tem uma equipe forte e é anfitriã do evento”, diz Sérgio Mello, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), que acompanhará o grupo.

A abertura do evento ocorre neste domingo (23). Os competidores terão de fazer uma prova prática no laboratório na segunda-feira (24) como por exemplo, determinar a composição de uma mostra desconhecida; e a avaliação teórica com sete problemas na quarta-feira (26). Os exames são aplicados individualmente. A delegação retorna para o Brasil no dia 3 de outubro.

A olimpíada reúne estudantes da Argentina,Bolívia, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba, Colômbia, El Salvador, Espanha, Guatemala,México, Peru, Panamá, Paraguai, Portugal, Venezuela e Uruguai. Cada país participa com uma equipe de até quatro estudantes, não universitários, com idade inferior a 19 anos, escolhidos em processo seletivo de abrangência nacional. O concurso começou na Argentina em 1995 e a cada ano ocorre em um país diferente.

 

Fonte: G1.com