Conecte conosco

Esportes

Brasil vence França em último amistoso antes da Copa das Confederações

Publicado

em

Em seu último amistoso antes da Copa das Confederações, a seleção brasileira voltou a vencer uma potência do futebol. Superou a França por 3 a 0, na Arena Grêmio, em Porto Alegre. O resultado deve ajudar a aliviar a pressão. A última vez que o Brasil tinha vencido uma grande seleção, em um jogo em que os times puderam usar a força máxima, foi em 2009 quando bateu a Inglaterra por 1 a 0.

RTEmagicC_jogo_02.jpgDesde que Felipão voltou ao comando da equipe, o Brasil perdeu para a Inglaterra, empatou com Itália, Rússia e Chile, ganhou da Bolívia e voltou a empatar com a Inglaterra. O próximo desafio da equipe será para valer: contra o Japão, no sábado, às 16h, em Brasília, na abertura do evento que é considerado teste para a Copa do Mundo de 2014.

Na reta final rumo à Copa das Confederações, a CBF programou um amistoso contra um rival duro. O Brasil não vencia a França desde 1992, quando fez 2 a 0, em Paris. Depois daquele duelo, os franceses provocaram traumas na seleção. Eles saíram vitoriosos nas quartas de final dos Mundiais de 1986 e 2006, e ganharam a final de 1998.

Na partida em Porto Alegre de hoje, a única novidade na equipe titular do Brasil foi a escalação de Marcelo na lateral esquerda, no lugar de Filipe Luis, que foi titular no empate contra a Inglaterra. Já a França não contou com o seu principal astro, Ribéry. Ele não foi chamado para descansar, pois seu time, Bayern de Munique, participou com sucesso das finais da Copa dos Campeões da Europa, dia 25 de maio, e da Copa da Alemanha, dia 1º de junho.

O primeiro tempo foi muito equilibrado. O Brasil não conseguiu pressionar o rival, mas se movimentou bastante, e explorou as pontas para avançar. A melhor chance da primeira etapa foi criada logo aos 30s em uma falha do goleiro francês Lloris, que driblou Fred, mas teve a bola roubada por Neymar, que tentou driblar o goleiro e acabou desarmado.

A França aplicou uma forte marcação. Não deu sossego para os principais atletas brasileiros e mostrou muita qualidade para trocar passes quando avançava ao ataque.

O segundo tempo também começou equilibrado até que, aos 8min, Oscar abriu o placar. O contra-ataque brasileiro começou com um desarme de Luiz Gustavo sobre Valbuena, que ficou caído no gramado. Fred foi ligeiro e fez a assistência para Oscar, que tocou na saída do goleiro para fazer o gol. Jogadores da França reclamaram de falta de Luiz Gustavo, mas o árbitro peruano Victor Carillo interpretou que o lance foi normal.

Aos 39min, o Brasil aproveitou outro ótimo contra-ataque e, após bela troca de passe, Hernanes chutou cruzado para fazer 2 a 0. O gol final saiu aos 47min, em cobrança de pênalti batida por Lucas.

Em seu último amistoso antes da Copa das Confederações, a seleção brasileira voltou a vencer uma potência do futebol. Superou a França por 3 a 0, na Arena Grêmio, em Porto Alegre. O resultado deve ajudar a aliviar a pressão. A última vez que o Brasil tinha vencido uma grande seleção, em um jogo em que os times puderam usar a força máxima, foi em 2009 quando bateu a Inglaterra por 1 a 0.

Desde que Felipão voltou ao comando da equipe, o Brasil perdeu para a Inglaterra, empatou com Itália, Rússia e Chile, ganhou da Bolívia e voltou a empatar com a Inglaterra. O próximo desafio da equipe será para valer: contra o Japão, no sábado, às 16h, em Brasília, na abertura do evento que é considerado teste para a Copa do Mundo de 2014.

Na reta final rumo à Copa das Confederações, a CBF programou um amistoso contra um rival duro. O Brasil não vencia a França desde 1992, quando fez 2 a 0, em Paris. Depois daquele duelo, os franceses provocaram traumas na seleção. Eles saíram vitoriosos nas quartas de final dos Mundiais de 1986 e 2006, e ganharam a final de 1998.

Na partida em Porto Alegre de hoje, a única novidade na equipe titular do Brasil foi a escalação de Marcelo na lateral esquerda, no lugar de Filipe Luis, que foi titular no empate contra a Inglaterra. Já a França não contou com o seu principal astro, Ribéry. Ele não foi chamado para descansar, pois seu time, Bayern de Munique, participou com sucesso das finais da Copa dos Campeões da Europa, dia 25 de maio, e da Copa da Alemanha, dia 1º de junho.

O primeiro tempo foi muito equilibrado. O Brasil não conseguiu pressionar o rival, mas se movimentou bastante, e explorou as pontas para avançar. A melhor chance da primeira etapa foi criada logo aos 30s em uma falha do goleiro francês Lloris, que driblou Fred, mas teve a bola roubada por Neymar, que tentou driblar o goleiro e acabou desarmado.

A França aplicou uma forte marcação. Não deu sossego para os principais atletas brasileiros e mostrou muita qualidade para trocar passes quando avançava ao ataque.

O segundo tempo também começou equilibrado até que, aos 8min, Oscar abriu o placar. O contra-ataque brasileiro começou com um desarme de Luiz Gustavo sobre Valbuena, que ficou caído no gramado. Fred foi ligeiro e fez a assistência para Oscar, que tocou na saída do goleiro para fazer o gol. Jogadores da França reclamaram de falta de Luiz Gustavo, mas o árbitro peruano Victor Carillo interpretou que o lance foi normal.

Aos 39min, o Brasil aproveitou outro ótimo contra-ataque e, após bela troca de passe, Hernanes chutou cruzado para fazer 2 a 0. O gol final saiu aos 47min, em cobrança de pênalti batida por Lucas.

BRASIL
Julio Cesar, Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar; Neymar, Hulk e Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

FRANÇA
Lloris, Debuchy, Rami, Sakho e Mathieu; Matuidi, Cabaye, Payet, Valbuena e Guilavogui; Benzema. Técnico: Didier Deschamps

Estádio: Arena Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Victor Hugo Carrillo Casanova (PER)
Assistentes: Jonny Moncada (PER) e Cesar Escano (PER)
Renda/Público: R$ 6.833.515,00 / 51.643 pagantes
Cartões amarelos: David Luiz (BRA) Gols: Oscar, aos 8min do 2º tempo; Hernanes, aos 38min do 2º tempo; Lucas, aos 47min do 2º tempo

Fonte: Ibahia