Conecte conosco

CIDADES

Desmatamento na Chapada Diamantina: Justiça suspende autorização do Inema a empresa de agronegócio

Já foram retirados 958,33 hectares de vegetação; supressão tem efeitos sobre o ambiente fluvial

Publicado

em

Metro1 – Na última sexta-feira (4), o MP ajuizou uma ação civil pública contra o Inema e o produtor rural Suishi Hayashi, por ilegalidades existentes em licenciamento ambiental. A ação afirmava que a autorização concedida pelo Inema era ilegal por ser baseada em um Cadastro Estadual de Imóvel Rural (Cefir) inválido, aprovado pelo órgão ambiental com inclusão de dados falsos. (Leia mais)

Após a publicação da matéria, a empresa Hayashi mandou nota de esclarecimento:

Sobre a decisão liminar deferida em relação à atuação realizada na Fazenda Piabas, no município de Piatã, destacamos que foi proferida sem a oitiva prévia da Hayashi e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), tendo ressalvado o juiz que se trata de decisão reversível após a apresentação das respostas das partes. Dessa forma, serão apresentadas todas as comprovações necessárias relacionadas ao caso, a fim de que prevaleça a realidade detalhada dos fatos e estudos, com múltiplos trabalhos desenvolvidos in loco, tanto pelo Inema quanto pela Hayashi, para as quais permanecemos à disposição do MP para quaisquer esclarecimentos. A Hayashi reforça que seguirá atuando de forma plena e transparente no processo, adotando todas as medidas de esclarecimento do juiz e recursos próprios contra a decisão, que prontamente cumprirá.

P U B L I C I D A D E