Conecte conosco

Esportes

Em jogo eletrizante, Vitória empata com o Bragantino fora de casa

Publicado

em

56 anos de emancipação

Em jogo eletrizante, Vitória empata com o Bragantino fora de casa.

 

O Vitória foi à campo neste sábado (8), onde enfrentou o Bragantino, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista-SP. O rubro-negro baiano precisava vencer a qualquer custo para se manter de vez na briga pelo acesso, mas, após um jogo eletrizante, não conseguiu mais do que um empate: 2 a 2. Os gols foram marcados por Fabio Santos e Xuxa, pelo lado rubro-negro. André Astorga e Lincom descontaram para o Bragantino. A partida foi válida pela 29° rodada da série B do Campeonato Brasileiro.

O primeiro tempo da partida foi eletrizante. Os primeiros dez minutos foram amplamente dominados pela equipe do Bragantino, que criou pelo menos quatro oportunidades para abrir o placar no Nabi Abi Chedi. Mas como diz o velho ditado, “quem não faz, leva!”, e foi o que aconteceu. Aos 13’ minutos, em um contra-ataque fulminante, Fernandinho recebeu pelo meio e deixou Fábio Santos em excelente condição para inaugurar o marcador. O atacante recebeu na entrada da área e não desperdiçou, fazendo 1 a 0 na primeira chegada do Vitória a meta adversária.

O jogo seguiu intenso. Após o gol, o rubro-negro ganhou um pouco de volume de jogo e começou a gostar da partida, equilibrando o panorama do confronto. No entanto, após muita insistência, o Bragantino conseguiu o empate. Aos 27’ minutos, Luis Mário cobrou escanteio na grande área, e André Astorga, vindo de trás, cabeceou entre Nino Paraíba e Douglas, para empatar o placar.

E se enganou quem achou que as duas equipes se acomodaram depois disso. O alvinegro do interior paulista ainda achou uma bola no travessão logo um minuto após o empate. Luis Mário, num cruzamento despretensioso pela direita, fez a redonda explodir no poste superior da meta adversária.

Os times seguiram brigando, e a todo tempo buscaram o gol, que não veio, ao menos até os 47’ minutos, que foi quando o árbitro apitou o final da primeira etapa.

As duas equipes voltaram do vestiário para protagonizar um segundo tempo inexplicável. Os primeiros 15 minutos foram até “normais”. A coisa começou a esquentar mesmo a partir do 16° minuto, quando o goleiro Douglas, do Vitória, após socar uma bola no alto, caiu e ficou mais de três minutos recebendo atendimento, para no final das contas levantar e receber cartão amarelo ao som dos gritos de “timinho”, proferidos pela torcida do Bragantino.

Aos 22′, falta para o Vitória. Gilberto então foi reclamar com a arbitragem pela não aplicação do cartão amarelo para o adversário, e foi ele quem acabou levando a advertência. Não satisfeito, o jogador de 36 anos continuou a bater boca com o árbitro, que perdeu a paciência e o mandou para o chuveiro mais cedo, deixando o Vitória com 10 jogadores em campo.

Nem o melhor dos profetas adivinharia o que viria pela frente. Após boas chances criadas pelas duas equipes, em um jogo completamente aberto, veio o inexplicável. Aos 35′, o assistente invalidou um gol do Bragantino, marcando impedimento de Lincom no lance. Um minuto depois, Xuxa é quem marca pelo lado do Vitória, mas novamente o assistente estava lá para marcar impedimento. No minuto seguinte (37), pênalti sofrido por Nino Paraíba. Fabio Santos foi para a cobrança e desperdiçou, após a bola bater no goleiro Gilvan, bater na trave, bater no goleiro novamente, até que o camisa 1 conseguiu segurar a redonda. Com 41′ minutos, o árbitro auxiliar voltou a marcar impedimento em um gol marcado por Finazzi, do Bragantino, ato que levou os jogadores do alvinegro paulista a loucura.

Quatro minutos depois, Finazzi escorou um lançamento para Lincom, que ainda fora da área, dominou, fez o pivô, girou em cima de Jean e bateu no canto esquerdo de Douglas, para desempatar a partida: 2 a 1.

Um minuto, sim, um minuto depois, o Vitória chegou ao empate. Parecia combinado, mas não era. Fernandinho carregou a bola pela esquerda, foi até a linha de fundo e rolou para trás, eis que chegou Xuxa para estufar as redes e sair para o abraço.

Após isso, só restou as equipes tocarem bola e esperarem o apito final, que veio aos 50′ minutos.

CAMPEONATO BRASILEIRO – SÉRIE B

29° RODADA

BRAGANTINO 2 X 2 VITÓRIA

Data: 08 de outubro de 2011

Local: Estádio Nabi Abi Cheid

Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)

Assistentes: Bruno Bochilia (Asp. Fifa-PR) e Ivan Carlos Bohn (CBF-PR)

BRAGANTINO: Gilvan; Diego Macedo, André Astorga, Luís Henrique e Junior Lopes (Otacílio Neto); Luis Carlos (Finazzi), Léo Jaime, Esley e Marcinho (Luis); Lincom e Luís Mário.

Técnico: Marcelo Veiga

VITÓRIA: Douglas; Nino Paraíba (Mineiro); Gabriel, Maurício e Jean; Fernandinho, Zé Luís, Preto (Charles Vágner), Gilberto (Expulso); Neto Baiano (Xuxa) e Fabio Santos.

Técnico: Vagner Benazzi

Foto ilustrativa

Jornalista DRT/MTB nº 4584/BA - Atualmente é editor dos sites Tudo é política e Página Simões Filho. Tem formação em contabilidade e experiência como Instrutor profissional nas áreas de designer gráfico e programação para web.

Continuar Lendo
P U B L I C I D A D E

Brasil

“Futebol pode empoderar mulheres”, afirmam jogadoras

Publicado

em

56 anos de emancipação

Por Bia Pasqualino  no Brasil de Fato – Assentada do MST de Dionísio Cerqueira, pequena cidade em Santa Catarina, Maike Weber começou cedo a arte da bola. “O futebol ampliou minha visão de mundo”, conta a jogadora que hoje defende o Flamengo.

Weber foi destaque do jogo que ocorreu neste sábado (23) na inauguração do Campo Dr. Sócrates Brasileiro, localizado na Escola Nacional Florestan Fernandes, em Guararema (SP). A goleira defendeu um pênalti do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e tomou um gol dele, na sequência.

Sobre mulheres no futebol, ela afirma que o quadro ainda não é positivo. “Ainda existe muito preconceito, a mulher no futebol ainda é excluída”. Ela considera que a situação apresentou uma leve melhora depois que os times tiveram que apresentar uma equipe feminina como condição de participação na Copa Libertadores das Américas.

Luana Gonçalves Torres, filha de assentada do MST e dirigente regional de Ribeirão Preto (SP) também disputou uma partida pelo time anfitrião e se diz incomodada com a diferença que homens e mulheres são tratados no esporte. “A mulher sempre foi protagonista de diversos processos históricos, mas sempre silenciada”, conta. “Estar aqui hoje em times mistos é também honrar um lugar que às vezes é renegado às mulheres no futebol”, concluiu.

 

Continuar Lendo

CIDADES

Alunas da rede municipal participam do “I Festival de Futsal Feminino do Programa Simões Filho Esporte”  

Publicado

em

1º FESTIVAL DE FUTSAL FEMININO (2)
56 anos de emancipação

A Prefeitura Municipal de Simões Filho, através da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude (Sejuv), realizou na tarde desta sexta-feira (15), no Ginásio de Esportes, o “I Festival de Futsal Feminino do Programa Simões Filho Esporte”. 

As alunas de 12 a 17 anos, tiveram a oportunidade de interagir com jogadoras de diversas escolas, aprimorando relacionamentos e a prática do futsal.

O torneio foi divido em três categorias, sub-12, sub-15 e sub-17. As escolas campeãs foram: Edulino Ribeiro, Maria Chaves e Diácono. O segundo lugar ficou para as escolas: Péricles Reni e Nossa Esperança, sub-12 e sub-15.

Para a secretária da Sejuv, Sirliane Ribeiro, o esporte é fundamental para o desenvolvimento. “O objetivo é incentivar as meninas a praticar o futsal e fomentar o esporte no município, além de contrubuir na redução da vulnerabilidade social”, conta a secretaria.

Viviane Brito, 14 anos, apaixonada pelo futebol desde os sete, estudante do Diácono e artilheira do torneio, acredita que o Programa vem contribuindo para que o esporte seja valorizado e reconhecido no município. “Foi muito importante para nós que somos meninas e gostamos de jogar ver o futsal atuando aqui na cidade, isso incentiva, nos motiva e nos alegra. Não levamos para casa só medalhas, levamos sorrisos e novas amizades. Obrigada, foi um dia especial”, disse a artilheira.

Continuar Lendo

Esportes

Independiente empata com o Flamengo e é campeão da Sul-Americana

Publicado

em

indepndiente campeao sulamenricana 2017
56 anos de emancipação

O Independiente, da Argentina, sagrou-se campeão da Copa Sul-Americana ao empatar em 1×1 com o Flamengo, ontem (13), no Maracanã, diante de mais de 62 mil pessoas.

O Flamengo saiu na frente com um gol de Lucas Paquetá, mas os argentinos empataram, ainda na etapa inicial, com um gol de pênalti convertido por Barco.

No segundo tempo, o Flamengo, empurrado pela torcida, foi à frente, mas esbarrou na forte retranca do adversário.

Como havia perdido por 2×1 em Buenos Aires, o Flamengo precisava de uma vitória. Foi o 17º título internacional da equipe argentina.

Antes do jogo, mais de mil torcedores rubro-negros invadiram o Maracanã, quebrando roletas e grades.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Copyright © 2017 Página Simões Filho