Conecte conosco

Saúde

Mais de 1900 pacientes foram atendidos pela Regulação durante o ano novo

Publicado

em

Mais de 1900 pacientes foram atendidos pela Regulação durante o ano novo

Com um total superior a 1900 atendimentos contabilizados durante as festas de final de ano, a Central Estadual de Regulação (CER) trabalhou de forma eficiente, na avaliação do secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas. “A rede funcionou bem e conseguimos regular esses pacientes para os hospitais”, afirmou o Secretário, acrescentando que está avaliando como aperfeiçoar ainda mais o funcionamento da Central de Regulação, para continuar reduzindo o número de pacientes acumulados ao longo dos anos. 

Ainda de acordo com Vilas-Boas, a meta é chegar a 500 pacientes em tela para serem regulados, e hoje já se chegou próximo a 1000 pacientes. Um dos fatores decisivos para a evolução do trabalho da CER é a expansão de rede de atendimento. Durante o ano passado, foram implantados mais de 1.000 novos leitos hospitalares na Bahia, distribuídos em forma de rede direta, indireta e por meio de contratos. 

Outra ação que tem contribuído para a evolução do trabalho da CER é a ‘desospitalização’ de pacientes crônicos, como estratégia para que se disponibilizem mais leitos para a população baiana. Com a implantação de leitos para a internação em domicílio, já foram retirados mais de 700 pacientes dos hospitais, para que continuem seu tratamento em casa.

Em 2018, até o mês de dezembro, a Central Estadual de Regulação (CER) registrou mais de 180 mil  solicitações atendidas, número maior que o computado em todo ano de 2017. Esse resultado só pode ser alcançado graças aos investimentos que tem sido feito pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) na estrutura da CER e também na expansão da rede de assistência. 

De acordo com o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, os problemas foram levantados e estão sendo resolvidos. “Identificamos falta de informatização na CER e nas unidades hospitalares, falta de recursos humanos, dentre outros problemas. Para cada questão, fizemos um plano de trabalho e estamos conseguindo resolver”, afirmou o Secretário. Segundo com Fábio Vilas-Boas, a CER já consegue hoje atender 100% da demanda diária da rede. “Ainda existe um passivo e estamos desenvolvendo ações para que seja resolvido”, esclarece.

A diretora de Regulação, Rita de Cássia, explica que uma das funções da regulação é a ordenação e qualificação dos fluxos de acesso às ações e serviços de saúde, de modo a otimizar a utilização dos recursos assistenciais disponíveis e promover a transparência, a integralidade e a equidade no acesso às ações e aos serviços, em tempo oportuno, dispondo, para tal, entre outros instrumentos, de diretrizes operacionais e protocolos.

Saúde

Projetos da Sesab são apresentados à Comissão de Saúde da Assembleia

Publicado

em

Sete novos hospitais, oito policlínicas e mais de 20 mil cirurgias realizadas de forma itinerante, contemplando moradores dos 417 municípios. Esta é uma pequena amostra das ações do Governo da Bahia na área da saúde entre os anos de 2015 e 2018, cujo investimento ultrapassou a casa dos R$ 20 bilhões em obras, serviços e recursos humanos, ao longo dos anos. E de acordo com o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, a perspectiva até 2022 é superar os números anteriores. A declaração ocorreu nesta terça-feira (19) durante uma apresentação para 15 deputados estaduais da Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia sobre os avanços e desafios da saúde pública.

“Se contabilizarmos apenas as obras em curso, teremos a entrega de novos hospitais ou ampliações em Lauro de Freitas, Feira de Santana, Irecê, Barreiras, Vitória da Conquista, Salvador, além de maternidades na capital, Ilhéus e Camaçari. Isso sem contabilizar 12 novas policlínicas e o Centro Integrado de Comando e Controle da Saúde, que abrigará a sede da Central Estadual de Regulação (CER)”, afirma o secretário.

Com o objetivo de descentralizar a assistência à saúde, o titular da pasta da Saúde destaca a implantação de 50 salas de telemedicina para diagnóstico de Infarto do Miocárdio, além de salas de atendimento ao portador de pé diabético nas cidades com mais de 30 mil habitantes. “Ainda teremos novas unidades de alta complexidade em oncologia nos municípios de Salvador, Irecê, Barreiras, Porto Seguro, Caetité, Juazeiro e Vitória da Conquista”, ressalta Vilas-Boas, ao pontuar ainda a implantação de serviços de hemodinâmica, cirurgia cardíaca e neurointervenção nas cidades de Ilhéus, Barreiras, Irecê e Porto Seguro.

Na capital está em construção o Centro Estadual de Referência para Anemia Falciforme e outras Hemoglobinopatias e será licitado o Centro Estadual de Referência para Hipertensão Arterial e Aterosclerose Avançada.

Regulação

Um dos temas de maior interesse dos parlamentares foi a regulação de pacientes. “A redução no tempo de resposta é o resultado mais visível, visto que 90% das solicitações são atendidas em até 48 horas”, destaca o secretário, ao demonstrar avanços nas áreas de cardiologia, ortopedia, neurologia e pediatria. “Tivemos uma queda de 71% no quantitativo de pacientes aguardando procedimentos ortopédicos, internação neurocirúrgica adulta e internação pediátrica. Também reduzimos em 68% o tempo de resposta para internação cirúrgica cardíaca e 54% para cirurgia vascular”, aponta Vilas-Boas, que credita ao governador Rui Costa a melhoria de todos os indicadores, fruto dos investimentos em hospitais, equipamentos, serviços e qualificação da gestão.

Somente em 2019 a CER atendeu mais de 40 mil solicitações e conseguiu reduzir para abaixo de mil o número de pacientes internados que aguardavam por um procedimento, sejam avaliações com especialistas, cirurgias ou exames. Na prática, isso significa que a meta de atender todas as solicitações em até 24 horas está cada vez mais próxima, visto que a capacidade diária é de, pelo menos, 500 pacientes.

O deputado estadual e presidente da Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa, Alan Castro, disse estar surpreso com a evolução na saúde da Bahia. “A Central Estadual de Regulação está totalmente informatizada e com resolutividade em até dois dias. Isso se deve ao grande investimento do governador na área da saúde, com a abertura de mais de 1.000 leitos, inclusive de UTIs. Conhecia o secretário Fábio apenas como médico, mas vejo que ele é um grande administrador e a saúde é levada a sério”.

Já na avaliação do deputado José de Arimateia, “a apresentação foi muito importante e vimos que a Central de Regulação começa a funcionar plenamente e a melhorar. E as redes de atenção contra o infarto, AVC e Anemia Falciforme também são importantíssimas”, declara.

Continuar Lendo

Boa Forma

REMÉDIOS PARA EMAGRECER: QUAIS OS PERIGOS EM TOMAR?

Entre 2006 e 2016, o índice de brasileiros obesos passou de 11,8% para 18,9%. Diabetes e hipertensão também cresceram

Publicado

em

Remédio para emagrecer

Do Tudo é Política – Pensando em tomar remédios para emagrecer?

Você está acima do peso?

Você sabe qual seu peso ideal?

Os dados do Ministério da Saúde, apontam que quase um em cada cinco brasileiros, ou seja, 18,9% da população é obesa e pior, mais da metade das pessoas do país (54%) está com excesso de peso.

Obesidade hoje é reconhecida como uma doença crônica e é gatilho para o desenvolvimento de outras enfermidades como pressão alta e diabetes.

São muitos os fatores que provocam a obesidade, como predisposição genética e estilo de vida. A Obesidade não tem cura, mas tem controle que, invariavelmente, se inicia com reeducação alimentar e prática regular de atividade física.

Já é de conhecimento geral, entre os médicos, que a redução de 5 a 10% do peso, em pacientes obesos, melhora os índices do indivíduo e reverte o percentual de morbidade do mesmo.

Quando a mudança de rotina não dá certo

Ao passo que a obesidade passou a ser vista como uma doença crônica e que, além disso, muitas pessoas que sofrem com excesso de peso não conseguem emagrecer, apenas, com mudanças na rotina, o uso de remédios para perder peso acaba sendo uma alternativa válida para combater esse mal. E é aí que mora o perigo.

Se você está lendo esse artigo, talvez esteja pensando em usar algum medicamento para emagrecer.

Mas antes de decidir por essa alternativa é preciso que você saiba quem pode usar e quando os medicamentos devem ser adotados como estratégia para tratar a obesidade. Para isso, a atitude mais segura é buscar a orientação de um médico especializado.

QUANDO OS REMÉDIOS PARA EMAGRECER SÃO RECOMENDADOS?

Os especialistas afirmam que os remédios para emagrecer só são recomendados para adultos com índice de massa corporal (IMC) igual ou maior que 30 ou de 27 para cima em pessoas com comorbidades associadas, como diabetes, hipertensão arterial, colesterol elevado e disfunções osteomusculares – que prejudicam os movimentos e a locomoção.

Os remédios para emagrecer devem ser vistos como parte de um programa de gerenciamento de peso para que de fato precisam, afirma o médico Rogério Friedman, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).


Dr. Rogério Friedman

“O principal é treinar o paciente para que ele adote uma rotina mais saudável. O medicamento seria empregado apenas quando não se consegue o resultado esperado com dieta e atividade física”, diz ele.

Nunca é demais reforçar que remédios para emagrecer podem causar efeitos bem sérios e precisam ser tomados com muito cuidado.

Tomar remédio para emagrecer é visto como uma forma simples de perder peso, no entanto, para eles funcionem, um especialista precisa ser consultado.

Agora que você entendeu que precisa ter cuidado com o uso dos remédios para emagrecer, veja abaixo informações adicionais sobre remédios para emagrecer, como eles agem, para que são indicados e se causam efeitos colaterais. Além disso, descubra se alternativas naturais e alimentos funcionais podem substituir esses medicamentos:

Categorias de remédios para emagrecer

Atualmente, existem no Brasil quatro remédios formalmente indicados para o tratamento da obesidade e aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entenda como cada um funciona:

1. Sibutramina

A sibutramina é um dos medicamentos mais conhecidos e usados para emagrecer. Ela atua mexendo em alguns neurotransmissores como serotonina, noradrenalina e dopamina, e com isso, reduzindo o apetite. Hoje ele é um dos remédios que pode ser vendido no Brasil, desde que com prescrição médica.

Vantagens e indicações Uma das vantagens da sibutramina está em sua ação de redução do apetite e também de aumentar o gasto calórico.

O ideal é que ela seja passada a pacientes IMC maior que 30, quando a orientação de mudança de dieta e exercícios não surtir efeitos no emagrecimento.

Efeitos colaterais A sibutramina é contraindicada para quem tem hipertensão, diabetes ou risco aumentado para doenças cardiovasculares. Ela pode causar efeitos colaterais como:

  • Boca seca
  • Constipação
  • Dor de cabeça
  • Insônia.

Alterações de humor também são bastantes comuns e devem ser relatadas ao médico.

2. Saxenda

O saxenda é um remédio para emagrecer aprovado pela Anvisa em 2016. Seu princípio ativo, a liraglutina, é a mesma do remédio Victoza, usado para tratar o diabetes. Foi descoberto que ele reduz a sensação de fome, além de melhorar a glicose no sangue.

Ao contrário dos outros medicamentos de uso oral, o saxenda deve ser injetado sob a pele.

Vantagens e indicações A indicação do Saxenda é que ele seja utilizado em conjunto com dieta e atividade física em adultos com:

  • Índice de massa corporal acima de 30 kg/m2
  • IMC acima de 27 kg/m2 com alguma condição relacionada ao excesso do peso, como hipertensão, diabetes tipo 2 ou alterações de colesterol.

Acredita-se que ele funciona melhor em pessoas com problemas metabólicos, uma vez que ele também preserva o pâncreas.

Outra vantagem do saxenda é não afetar o humor do paciente, como outros remédios para emagrecer.

Efeitos colaterais Ele pode causar desenvolvimento de pancreatite, cálculos em vesícula biliar e risco de hipoglicemia, este último em pacientes com diabetes tipo 2.

3. Orlislat

Esse medicamento não atua na fome, saciedade ou outros mecanismos metabólicos. Ele normalmente interfere na absorção de gordura, inibindo que 30% dela seja assimilada pelo corpo, que é eliminada em maior quantidade nas fezes.

Por conta disso, ele é mais usado como coadjuvante, junto a outros tipos de remédios para emagrecer.

Vantagens e indicações O orlislat é um bom medicamento para pessoas com dieta rica em gordura e quem dificuldades em cortá-la da alimentação.

Efeitos colaterais Quando a pessoa ingere muita gordura tomando esse medicamento, ela pode ter diarreias devido à quantidade de gordura em suas fezes, o que pode causar desconfortos.

4. Fluoxetina

A fluoxetina é um remédio para ansiedade, que pode ser usada em alguns tratamentos para emagrecer. Neste contexto, ela age controlando a ansiedade a fim de reduzir a compulsão alimentar.

Vantagens e indicações Seu uso como coadjuvante na perda de peso deve ser restrito a pessoas que possuem obesidade associada à depressão, ou então em casos de obesidade relacionados a uma condição médica chamada Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG). Sendo assim, o paciente deve ter IMC maior ou igual a 30 e um diagnóstico de depressão ou TAG feito por um psiquiatra.

Efeitos colaterais A fluoxetina pode causar:

  • Diarreia
  • Náusea
  • Cansaço (fadiga)
  • Dor de cabeça
  • Insônia.

Além disso, estudos mostram que após 6 meses de uso, a modesta perda de peso obtida inicialmente com a fluoxetina aos poucos vai se perdendo.

5. Sertralina

A sertralina também é um medicamento antidepressivo e sua ação é semelhante a da fluoxetina acima. No entanto, esse remédio é ainda menos usado para emagrecer, já que pode causar compulsão alimentar em grandes quantidades.

Vantagens e indicações Seu uso como coadjuvante na perda de peso deve ser restrito a pessoas que possuem obesidade associada à depressão, ou então em casos de obesidade relacionados a uma condição médica chamada Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).

Efeitos colaterais As reações adversas mais comuns são:

  • Insônia
  • Sonolência
  • Tontura
  • Dor de cabeça
  • Diarreia
  • Boca seca
  • Náusea (enjoo)
  • Distúrbios da ejaculação
  • Fadiga (cansaço).

6. Bupropiona

A bupropiona é um antidepressivo mais indicado para o emagrecimento do que a fluoxetina e a sertralina, por ajudar a reduzir a compulsão. Ela atua de forma semelhante em casos de fumantes que querem deixar o vício de fumar.

Vantagens e indicações Ela é mais indicada quando o paciente apresenta algum quadro psiquiátrico, como depressão ou compulsão alimentar, e apenas quando a dieta e os exercícios físicos sozinhos não se mostram eficazes para o emagrecimento.

Efeitos colaterais O medicamento pode causar insônia, boca seca, cefaleia e, em casos mais graves, convulsões, taquicardia, hipertensão, urticária e manchas na pele(rash cutâneo). Por isso mesmo ele deve ser ingerido com acompanhamento médico.

7. Anfetaminas (Anfepramona, Femproporex e Mazindol)

As anfetaminas, como Anfepramona, Femproporex e Mazindol, são uma classe de medicamentos chamados de anorexígenos. Eles agem diretamente reduzindo o apetite.

Hoje eles não são vendidos no Brasil, mas há uma sanção aguardando aprovação do presidente do Brasil, para que medicamentos derivados dessas substâncias voltem a serem comercializados. Eles foram proibidos pela Agência de Vigilância Sanitária em 2011, pois não há estudos que comprovem seus benefícios.

Vantagens e indicações Esses medicamentos inibem a fome quase que completamente.

Efeitos colaterais No entanto, o problema dessas fórmulas é que elas não melhoram o paciente metabolicamente nem o educam a como comer melhor. Além disso, elas podem trazer alterações comportamentais, como ansiedade, irritabilidade, insônia, tremores e depressão.

Quando usar remédios para emagrecer?

Os remédios para emagrecer nunca devem ser a primeira opção para o emagrecimento. O ideal é que primeiro o paciente experimente mudar hábitos como sua alimentação e grau de atividade física realizada no dia a dia. Caso essas medidas não se mostrem eficazes, aí sim os medicamentos podem e devem ser indicados, entanto o perfil de cada paciente.

O ideal é que as pessoas com IMC acima de 30, ou pessoas com IMC acima de 27 e doenças metabólicas, sejam avaliadas para o uso de medicamentos nesses casos. Somente nessas situações os efeitos colaterais dos medicamentos não superam os benefícios possíveis.

Remédios naturais para emagrecer

Existem alguns métodos naturais para emagrecer. Entenda se eles funcionam mesmo:

Quitosana Essa substância é extraída do exoesqueleto de insetos ou crustáceos e age como uma fibra, trazendo saciedade. Além disso, estudos feitos em animais mostraram que a quitosana pode interferir muito na digestão e absorção de gorduras pelo trato intestinal, facilitando a excreção destas gorduras nas fezes dos animais.

No entanto, não há estudos que mostrem seus benefícios diretos no emagrecimento em seres humanos.

Konjac Essa raiz também é famosa por suas propriedades emagrecedoras, mas existem poucas evidências da sua ação em seres humanos.

Goji berry em cápsulas Alguns estudos mostram que o goji berry consumido em suco pode ajudar a emagrecer, já que pessoas com baixo consumo de vitamina C podem ser mais resistentes a perder massa gorda. No entanto, ele precisa ser aliado a uma alimentação equilibrada.

Faseolamina Essa substância presente no feijão branco cru reduz a absorção dos carboidratos, sendo aliada do emagrecimento. No entanto, esse alimento cru deve ser consumido com bastante moderação, pois pode fazer mal à saúde.

Remédios caseiros para emagrecer funcionam?

Entre os remédios caseiros para emagrecer estão itens como água com berinjela, água com gengibre e chás diuréticos. Veja se eles realmente funcionam:

Água com gengibre Deixar o gengibre soltar seu líquido na água pode sim ajudar no emagrecimento devido a seu efeito termogênico. Mas só funcionará se aliado a uma dieta balanceada e com menos calorias.

Água com berinjela Essa água, feita ao deixar de molho cubinho de berinjela, não tem estudos que comprovem seu benefício na perda de peso ou que os nutrientes do vegetal sejam passados para a água. O ideal é aproveitar os benefícios da berinjela in natura, consumindo-a refogada ou grelhada.

Chás diuréticos Bebidas com essa propriedade apenas reduzem a retenção de líquido do corpo, o que ajuda a reduzir poucos quilos na balança. No entanto, chás diuréticos com outras propriedades emagrecedoras, como o chá de hibisco, podem ser interessantes, desde que também sejam aliados a uma dieta mais saudável.

Continuar Lendo

Saúde

Prefeitura promove mais uma capacitação com Agentes de Saúde do município

Publicado

em

Prefeitura promove mais uma capacitação com Agentes de Saúde do município

Simões Filho – Com o objetivo de ampliar ações de promoção à saúde bucal, a Prefeitura de Simões Filho, através da Secretaria de Saúde (SMS) e em parceria com o OdontoSesc, finalizou nesta quarta-feira, 13, mais uma capacitação com os Agentes de Saúde do município.

“Os encontros promovem a capacitação e a socialização dos agentes que realizam um trabalho de extrema importância para no nosso município, além de promover a conscientização da importância da saúde bucal”, pontuou Paloma Caldas, coordenadora de Saúde Bucal.

A série de encontros aconteceram para promover ações que ampliam e intensificam o cuidado com a saúde bucal, funcionando ainda como uma ferramenta de alerta para o controle de doenças mais prevalentes, estímulo a higiene e a adoção de hábitos saudáveis.

Continuar Lendo

CIDADES

Simões Filho: Obras nas novas Unidades Básicas de Saúde avançam

Publicado

em

Obras das novas Unidades Básicas de Saúde (UBS), em Simões Filho, cidade da Região Metropolitana, seguem avançando. As unidades ficam situadas em Pitanga de Palmares, Eucalipto e Ponto Parada.

 Com a iniciativa, o poder público visa ampliar campo de atendimento e cobertura da atenção básica no município, além de atender uma média de 80% dos problemas de saúde da população.

Entre os serviços prestados nas UBS, estão ações de promoção, prevenção e tratamentos relacionados à saúde da mulher, da criança, saúde mental e bucal, planejamento familiar, prevenção ao câncer, pré-natal e cuidados de doenças crônicas como diabetes e hipertensão.

Nas unidades, a população também encontra amparo e a garantia de serviços próximo das suas residências. O que reflete em mais comodidade e rapidez, na realização de atendimentos e procedimentos, como curativos, inalação, vacinas, exames laboratoriais, odontológicos e quando necessário, o encaminhamento para outras especialidades.

Continuar Lendo

Saúde

Simões Filho: novas ambulâncias são entregues ao SAMU

Publicado

em

Simões Filho: novas ambulâncias são entregues ao SAMU

Simõesfilhenses passam contar com duas novas ambulâncias de atendimentos de urgência e emergência. A cidade faz parte da Região Metropolitana de Salvador (RMS) e as unidades móveis foram entregues a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), nesta segunda-feira (18).

“As novas unidades de atendimento reforçam o compromisso que temos firmado com a população e visa proporcionar mais conforto, renovação e modernização dos equipamentos que são de fundamental importância para o atendimento da população”, destacou Dinha Tolentino, prefeito.

O SAMU tem como finalidade prestar socorro, através de unidade móvel, à população em casos de urgência e emergência, oferecendo atendimento em residências, locais de trabalho e vias públicas, por exemplo, e entre os equipamentos que compõem as unidades, estão: Desfibriladores Automáticos Externos (DEAS), Aspiradores portáteis e Oxímetros de Pulso.

“Mais uma realização que interfere positivamente nas nossas vidas. A cidade vem crescendo e só quem mora e vive aqui sabe o tamanho da importância dessas iniciativas. No finalzinho do ano passado, na minha família, nós precisamos dos atendimentos e serviços. Nós ligamos e, em poucos minutos, eles chegaram e, muito cordialmente, realizaram o atendimento do meu pai e hoje ele está vivo, mas sem eles não sei como seria. Gratidão sempre”, pontuou a simõesfilhense Ana Cláudia, 47 anos.

A base fixa do serviço fica localizada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no CIA I, e pode ser acionada por qualquer pessoa sempre que houver necessidade, em diversos casos, como por exemplo: ocorrência de problemas cardiorrespiratórios, intoxicação exógena, queimaduras graves, crises hipertensivas e acidentes/trauma com vítimas, entre outros.

Continuar Lendo

Saúde

Simões Filho: Novas ambulâncias serão entregues a SAMU

Publicado

em

Nova AmbulÂncia do SAMU

Feira de Saúde, em Simões Filho, realizada pela Prefeitura municipal, através da Secretaria de Saúde, será marcada por entrega de novas ambulâncias para Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), nesta segunda-feira (18).

A feira será realizada no Ponto Parada, em frente à Unidade Básica de Saúde (UBS), às 14h, e durante o encontro, a população poderá usufruir de serviços de aferição de pressão arterial e glicemia capilar, testes rápidos de HIV e Hepatite B e C, orientações de promoção à saúde bucal (com distribuição de kits para escovação) e orientações fisioterapêuticas, além de terem acesso a informações e métodos contraceptivos.

Às 16h, com a presença do prefeito da cidade, Dinha Tolentino, vice-prefeito Sid Serra, dos deputados federal Paulo Azi e estadual Kátia Oliveira, além de vereadores e secretários municipais, duas novas ambulâncias, serão entregues à equipe do SAMU.

No município, a base fixa do SAMU fica instalada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no CIA I, cobrindo todo o município, gratuitamente, 24h por dia, ofertando um serviço pré-hospitalar e age com o objetivo de chegar precocemente à vítima, após ter ocorrido alguma situação de urgência ou emergência de natureza clínica, cirúrgica, traumática, obstétrica, pediátrica, psiquiátrica, entre outras, que possa levar a sofrimento, a sequelas ou mesmo a morte.

Continuar Lendo
P U B L I C I D A D E
P U B L I C I D A D E

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Copyright © 2017 Página Simões Filho