Moro idealiza condenação de Lula desde 2005, revela Onyx Lorenzoni - Página Simões Filho
Conecte conosco

Brasil

Moro idealiza condenação de Lula desde 2005, revela Onyx Lorenzoni

Atual colega de Moro no governo Bolsonaro, ele diz que brechas para condenação sem provas eram ideia do ex-juiz. “Foram a diferença para ter chegado no Lula”

Publicado

em

Moro idealiza condenação de Lula desde 2005, revela Onyx Lorenzoni

Atual colega de Moro no governo Bolsonaro, ele diz que brechas para condenação sem provas eram ideia do ex-juiz. “Foram a diferença para ter chegado no Lula”

A troca de elogios e ‘perdões’ entre Sergio Moro e Onyx Lorenzoni não é só de conveniência de políticos. Quanto mais perto da posse, fica cada dia mais claro que ambos são mesmo aliados em nome de um objetivo comum: exterminar a esquerda no país.

Exemplo disso é uma revelação que o deputado federal fez sobre o passado dos dois em entrevista recente à GloboNews.

Onyx conta que o colega de ministério idealizou dois instrumentos que possibilitaram a prisão política de Lula em 2005, mais de dez anos antes da Lava Jato iniciar a caçada ao ex-presidente.

“Os 2 fatores – a lavagem de dinheiro como crime principal, e a revisão da lei de delação premiada – foram a diferença entre no ‘mensalão’ não ter chego [sic] no Lula, e no ‘petrolão’ ter chegado no Lula”, disse ao jornalista Roberto D’Ávila.

À época, o futuro chefe da Casa Civil de Bolsonaro atuava como sub-relator das Normas de Combate à Corrupçãoda CPI dos Correios, e convidou Moro para atuar no projeto.

Orgulhoso da amizade antiga, ele diz que foram sugestões de Moro duas mudanças que levaram à condenação de Lula anos mais tarde: a formalização da delação premiada e a transformação do crime de lavagem de dinheiro de crime acessório para crime principal, com pena máxima de até 12 anos.

Ele mesmo explica o motivo: “[O crime principal] permite essas condenações volumosas em anos e os ajustes depois”, referindo-se aos acordos de delação premiada – que, como se vê hoje, são levados a sério mesmo sem qualquer prova.

Os trâmites começaram em 2006, a partir de um projeto da deputada Serys Shlessarenko – ex-filiada ao PT – que virou lei no ano de 2013.

Optimized with PageSpeed Ninja