Conecte conosco

Prefeito

OPINIÃO: ALTOS SALÁRIOS NA ATUAL GESTÃO DE SIMÕES FILHO COLOCAM PONTO FINAL NO DISCURSO DE “MUNICÍPIO ENDIVIDADO”

Conta uma história de que há pessoas que conseguem ‘engolir um elefante e se engasgam com mosquitos’, no caso acima, é preciso saber o tamanho do mosquito, vai ver é bem maior que um elefante.

Publicado

em

OPINIÃO: ALTOS SALÁRIOS DA ATUAL GESTÃO COLOCAM PONTO FINAL NO DISCURSO DE “MUNICÍPIO ENDIVIDADO”

A notícia publicada pelo site Fala Simões Filho na manhã de hoje, 21 de abril, teve um efeito devastador dentro do grupo do prefeito Diógenes Tolentino que, até o momento, não publicou nota com as devidas e convincentes explicações sobre os altos salários de servidores, expostos na matéria.

O silêncio nas redes sociais chegou a ser ensurdecedor durante o dia.

Defensores do prefeito se viram obrigados a calar, diante das argumentações dos opositores que debatem através do aplicativo WhatsApp em diversos grupos, muitos destes, criados com a finalidade de defender o prefeito e repetir falas propagadas desde 2017, primeiro ano da gestão #BoaTerraBoaGente.

Não são poucos os nomeados insatisfeitos por não terem sido agraciados com a boa vontade do prefeito Dinha.

Muitos dos nomeados com quem conseguimos conversar, confessaram constrangimento. Outros, confessaram revolta e decepção.

A grande argumentação sustentada pelo prefeito Dinha e vereadores de sua base, foi a de que o então ex-prefeito Eduardo Alencar havia endividado o município em mais de 300 milhões de reais.

Buscando mostrar ser diferente, Dinha logo tratou de negociar a tal dívida e, em parcelas, relatou início de quitação da mesma o que era tido como fundamental para a grande mudança de rumos da cidade de Simões Filho.

A argumentação se transformou em retórica, e tal qual um mantra, foi entoado em todos os eventos, isso mesmo, todos os eventos que tinham a presença do prefeito.

A tal dívida foi tão falada e tão detalhada que, a partir de determinado momento, passou a não mais ter o efeito esperado, desabonar os quatro mandatos do ex-prefeito Eduardo Alencar.

Ano eleitoral e o que temos em plena pandemia do novo coronavírus?

A publicação de que alguns, privilegiadíssimos, nomeados da prefeitura estão recebendo salários considerados estratosféricos para os padrões da cidade. Salários que ultrapassam 30 mil reais.

Em processo de quarentena por causa da pandemia, milhares de famílias da cidade estão sem ter o que comer, dependendo da boa vontade de terceiros e de doações de cestas básicas arrecadadas de diversas formas por diversas pessoas, instituições e empresas.

O desemprego bate à porta de muitos pais e mães de famílias.

As narrativas sobre diversos problemas da gestão ganham força em 2020, ano eleitoral.

Antigos adversários estão declarando apoio ao prefeito e não há um desatento sequer que não desconfie que todos esses apoios são feitos após negociações que deixam as partes envolvidas com sorrisos largos e brilhantes.

Diante desse ‘rio caudaloso’ que parece correr no ‘vale’ entre os prédios da prefeitura e câmara municipal, percebe-se um povo atônito.

As perguntas que surgem dessa situação são tantas que fica difícil saber por onde começar a perguntar.

O que será dito pelo prefeito, para explicar salários tão altos?

Qual o nível de formação dos valorosos nomeados que estão rindo à toa com seus recheados contracheques?

O que fizeram esses nomeados para merecerem tão grande benevolência?

Como pode haver tanta reclamação de que a tal dívida deixada por Eduardo Alencar dificulta a implantação de políticas públicas, se ao mesmo tempo que se reclama são pagos salários tão altos?

Será que a prática carioca, denunciada em jornais de circulação nacional está sendo praticada, também em Simões Filho?

O que será dito ao eleitor sobre o bom e o mau uso do dinheiro público na gestão municipal que convença o eleitor a dar mais um voto de confiança ao prefeito Dinha?

Eu não sei quais são as respostas que serão dadas a essas perguntas e se serão dadas.

Mas posso afirmar, que, sem sobra de dúvidas, não há mais espaço para se falar de endividamento deixado pelo ex-prefeito. Não é mais possível usar esse argumento.

Agraciar nomeados em ano eleitoral com salários escandalosos é atitude que tem efeito devastador no processo eleitoral de 2020.

Se havia a previsão de que a próxima eleição será uma das mais caras da história da cidade, agora as previsões precisam ser atualizadas de caras para talvez, impagáveis.

O povo precisa de uma explicação.  

Conta uma história de que há pessoas que conseguem ‘engolir um elefante e se engasgam com mosquitos’, no caso acima, é preciso saber o tamanho do mosquito, vai ver é bem maior que um elefante.

P U B L I C I D A D E