O QUE ACONTECE NA CÂMARA DE SIMÕES FILHO? OS PARTIDOS POLÍTICOS, SÃO INSTITUIÇÕES FALIDAS? - Página Simões Filho
Conecte conosco

Política

O QUE ACONTECE NA CÂMARA DE SIMÕES FILHO? OS PARTIDOS POLÍTICOS, SÃO INSTITUIÇÕES FALIDAS?

Publicado

em

Há um provérbio que diz: “Futebol, Política e Religião não se discute”. Vamos deixar futebol e religião de fora e vamos falar de política. E o que é política?

Segundo Leonardo Sampaio, Educador Popular: “Quando nos deparamos com o mundo político, o concreto da política, nos dar a entender que existem diferenças entre política, ser político e fazer política. Se não vejamos.

[pro_ad_display_adzone id=”75483″]Política é uma ciência, é arte, é o meio de se fazer o bem comum, de cuidar, de promover a felicidade humana, de preservar o planeta. No entanto a política é entendida pelo senso comum, apenas como um processo eleitoral para eleger pessoas com os seus devidos cargos de: Presidente, Governador, Prefeito, Senador, Deputados e Vereador.

O eleitor vota apenas para cumprir com sua obrigação com o Estado, que o obriga a ir votar. Mas tem outra categoria de eleitor que busca negociar o voto de forma individual, ou mesmo coletivo conforme o tamanho do seu curral eleitoral”.

[pro_ad_display_adzone id=”75483″]Para fazer Política as pessoas se associam em uma espécie de clube, para tanto elas se reúnem, discutem suas ideias, estabelecem pontos em comum e as suas divergências, normas e procedimentos, regras de conduta e elaboram um documento chamado: “Estatuto Partidário”. Este estatuto é registrado na Justiça Eleitoral de acordo com a legislação vigente. Feito o registro, pronto, está criado mais um Partido Político. Definido como um grupo organizado, legalmente formado, com base em formas voluntárias de participação numa associação orientada para influenciar ou ocupar o poder político.

Se o Partido Político é um grupo organizado, regido por um estatuto, porque os Políticos agem individualmente depois de eleitos?

Este questionamento é para que possamos fazer uma reflexão a cerca da situação política no Município de Simões Filho-BA.

Leia também:

Nas Eleições de 2016, o município contou com três projetos políticos: Um liderado pelo prefeito da época, outro pela oposição à Gestão e o terceiro, como alternativa aos outros dois.

Para entendermos melhor, o projeto da situação foi liderado pelo PSD, tendo como aliados os seguintes partidos: PT / PPL / PP / PTC / PDT / PSB / PSC / PROS / PTN / PC do B / PSL.

O projeto de oposição foi liderado pelo PMDB tendo como aliados PTB / DEM / PPS / PRTB / PT do B / SD / PSDB / PMB / PEN; O terceiro foi liderado pelo PRB, tendo como aliados PHS / PSDC / PRP / PV.

Portanto a situação participou das eleições com 12 partidos, a oposição com 10 partidos e o grupo alternativo com 05 partidos, totalizados 27 partidos disputando as vagas de Prefeito, Vice Prefeito e 19 Cadeiras na Câmara de Vereadores.

[pro_ad_display_adzone id=”75483″]O resultado do pleito todos nós já sabemos, sagrou-se vencedora a chapa majoritária de oposição, que também elegeu 07 Vereadores representando os partidos: PMDB (elegeu 01 vereador), DEM (elegeu 02 vereadores), SD (elegeu 02 vereadores), PSDB (elegeu 02 vereadores); o grupo da situação elegeu 09 Vereadores representando os partidos: PSD (elegeu 03 vereadores), PP (elegeu 02 vereadores), PSB (elegeu 02 vereadores), PSL (elegeu 02 vereadores); e o projeto alternativo elegeu 03 Vereadores representando os paridos: PRB (elegeu 01 vereador), e PRP (elegeu 02 vereadores); ou seja, os eleitores do Município de Simões Filho elegeram o PMDB (Prefeito) e o PSDB (Vice Prefeito) para comandarem o Executivo Municipal, mas elegeram também, 19 Vereadores de 10 partidos e 03 projetos diferentes para que os representassem na casa do povo.

Quem dera que isso fosse verdade, que o mandatário representasse a vontade daqueles que lhes confiaram o mandato, que os Partidos Políticos respeitassem o resultado das urnas.

Estamos fazendo esta abordagem para tentar entender o que a ciência política não explica, como pode após uma disputa tão acirrada, onde os partidos e os políticos defendiam com unhas e dentes seus projetos, por jugarem ser o melhor para a cidade, estarem hoje todos numa vala comum, com a desculpa de defenderem os interessasses dos munícipes, negociam cargos e benesses em benefício próprio e dos seus.

[pro_ad_display_adzone id=”75483″]Como entender a posição do PSD do Senador Otto Alencar e do Ex Prefeito Eduardo Alencar, o PP do Vice Governador João Leão, do PSB da Senadora Lídice da Mata, o PSL do Deputado Marcelo Nilo, partidos que sempre definiram suas posições estaduais e até mesmo o PRB e o PRP, estarem hoje todos na base do Executivo Municipal liderado pelo PMDB, de Geddel Vieira Lima.

Apesar da política ser exercida por pessoas, esta matéria não analisa posições pessoais e por esse motivo não nominamos, tentamos fazer uma análise política para entendemos porque a figura do político brasileiro é tão desprezível e os motivos que levam as pesquisas de credibilidade das instituições brasileiras apontarem sempre os Políticos, as Instituições e os Paridos Políticos nas últimas posições.

P U B L I C I D A D E