Conecte conosco

Dinheiro & Negócios

Poupança tem maior retirada líquida da história em janeiro

Essa foi a maior retirada mensal líquida da história desde o início da série, em 1995

Publicado

em

Metro1 – Com os rendimentos comprometidos por causa da queda dos juros, o interesse na caderneta de poupança começou 2020 em baixa. Em janeiro, os investidores retiraram R$ 12,36 bilhões a mais do que depositaram na aplicação, informou ontem (6) o Banco Central. Essa foi a maior retirada mensal líquida da história desde o início da série, em 1995.

Até 2014, os brasileiros depositavam mais do que retiravam da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), a poupança está atraindo menos recursos porque os juros básicos estão no menor nível da história. Com a Selic em 4,25% ao ano, o investimento está cada vez rendendo menos.

P U B L I C I D A D E
ck quadrado