Conecte conosco

CIA 1

Protesto relâmpago da população pede faixas, sinaleiras e redutores no CIA 1

Publicado

em

Após vários acidentes registrados desde o início das obras de reurbanização na Praça do CIA 1 em Simões Filho, pela empresa VIA BAHIA, a população se revoltou e no início da tarde desta segunda-feira(10), fechou temporariamente a Av. Elmo Cerejo Farias em frente ao ponto de ônibus no sentido centro da cidade . O caso aconteceu após um atropelo de um jovem por uma moto conduzida por outro jovem, os quais foram levados para o hospital municipal por conta dos ferimentos considerados graves pelas equipes do SAMU. Alguns moradores e comerciantes do bairro, ao assistirem as cenas após o atropelo, que eram transmitidas ao vivo por um jornal sensacionalista da capital, se sentiram encorajados a bloquearem a pista nos dois sentidos com os tambores que servem de sinalização provisória no local para chamar a atenção das autoridades e empresa responsável pelas obras.

Um principio de tumulto aconteceu quando um ônibus da empresa Expresso Metropolitano tentou seguir até o ponto de ônibus com sentido a Salvador e foi impedido por algumas pessoas que chegaram a quebrar o para-brisa a golpes de capacete e ameaçaram o motorista que não tendo como seguir viagem, deu meia-volta e seguiu para a garagem. Viaturas da RONDESP, e da Polícia Militar chegaram até o local, e os ânimos dos mais exaltados se acalmaram após uma conversa com o polícia que ouviu atentamente os manifestantes e os orientou a organizarem um grupo como motos, pedestres e carros, que iria seguir até a prefeitura protegidos por batedores da própria PM para que fizessem o protesto de forma mais organizada e mais consistente, mas o grupo que até o momento era razoavelmente numeroso, dissipou imediatamente após a sugestão. Da mesma forma que se iniciou, o protesto acabou.

As obras da Via Bahia no Bairro do CIA 1 são parte de uma compensação da empresa ao município por conta da construção do viaduto na entrada do CIA, mas ainda estão em implantação. O trecho onde aconteceu o acidente e a manifestação, segundo as informações, será sinalizado com faixas, sinaleira e redutores, porém, a demora na colocação destes dispositivos de sinalização e o desrespeito de muitos motoristas, pedestres e condutores de motos estão fazendo como que o local registre praticamente um acidente por semana em média.

A SETRAN disponibilizou guardas municipais para auxiliarem o tráfego orientando pedestres e motoristas, mas os resultados dessa medida não são notados uma vez que os moradores relatam que os guardas não estão no local durante todo o dia ou ficam na calçada só olhando o “trânsito passar”.

Apesar de ser uma obra de responsabilidade da VIA BAHIA, essa situação é atribuída ao prefeito pela população. Há menos de dez dias o prefeito esteve com alguns secretários no exato local do acidente e do protesto, analisando o andamento das obras,  mas não houve nenhum protesto e nenhum grupo se organizou para cobrar do prefeito naquele momento que era claramente a melhor oportunidade para se protestar.