Vereador Luciano tenta se explicar sobre declaração homofóbica e sair da "saia justa" - Página Simões Filho
Conecte conosco

Destaque

Vereador Luciano tenta se explicar sobre declaração homofóbica e sair da “saia justa”

Publicado

em

Após a gafe cometida via facebook ao postar um folheto com a propaganda de uma manifestação gospel que acontecerá no dia 5 de junho em Brasília/DF, o vereador Luciano Almeida do PSD de Simões Filho/BA, publicou uma nota no seu perfil social na qual busca se explicar sobre o fato. O vereador diz ter recebido o folheto de outras pessoas e imediatamente compartilhou entre os seus seguidores. Ainda na mesma nota o vereador declara que a frase que está no folheto, passou despercebida e só se deu conta da gravidade da mesma, quando passou a receber diversas ligações de pessoas pedindo explicações sobre o fato, o que o fez excluiu imediatamente o folheto do seu perfil na internet.

luciano homofbiaA frase polémica diz: “ HOMOSEXUALIDADE FORA DAS ESCOLAS”. A mesma logicamente atingiu em cheio o movimento LGBT- Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros que está organizado em várias associações espalhadas pelo município. Um desses grupos, o  Grupo Contra o Preconceito, publicou uma nota de repúdio à atitude do vereador por  considerar que esta é uma visão preconceituosa e distante de qualquer realidade científica, e que tal declaração pode colocar em dúvida sua capacidade de representar o povo. A nota lembra ao vereador, legítimo representante do povo simõesfilhense, que o mesmo deveria saber que o Decreto n° 119-A, de 17 de janeiro de 1890, século XIX, estabeleceu a definitiva separação entre Igreja e o Estado, tornando o Brasil um país laico e não confessional.

flyer lucianoA tentativa de explicação do vereador, criou mais uma situação que atrapalha sua campanha de promoção pessoal feita via facebook com a postagem de folhetos relatando indicações feitas na câmara de vereadores para a implantação de equipamentos que já foram prometidos pelo governador do estado, Jaques Wagner na campanha para prefeito em 2012 como por exemplo o Serviço de Atendimento ao Cidadão-SAC, a Delegacia Da Mulher-DEAM e o Rastaurante Popular. Isto por que o pedido de desculpas não é dirigida aos homossexuais, os quais foram diretamente atingidos.

tiro-no-pe-2O fato está sendo considerado por muitos como um tiro no pé uma vez que sua esposa Andrea Almeida foi recentemente nomeada como secretária Municipal de Políticas Públicas e Promoção à Mulher e o número de mulheres homossexuais no município é grande. O caso certamente somará pontos negativos para o vereador na sua campanha antecipada para as próximas eleições.

O caso do vereador Luciano Almeida lembra o que aconteceu com o deputado federal Marcos Feliciano(PSC-SP) atual presidente da Comissão de Direitos Humanos-CDH em Brasília/DF que em 2011, fez declarações consideradas homofóbicas e racistas em seu Twitter sobre africanos e homossexuais.

A declaração só chegou ao conhecimento do público no âmbito nacional quando o mesmo foi eleito para presidente da Comissão dos Direitos Humanos-CDH, quando várias personalidades políticas e artísticas passaram a contestar sua condição de presidir tal comissão. Há quem diga que o pastor irá renunciar à presidência mas a resistência estaria sendo movida pelo oportunismo político. Há informações de que para desistir da presidência o pastor estaria negociando a ocupação de cargos públicos.

Optimized with PageSpeed Ninja